A vida e a missão de Jesus como modelo para a Igreja

(Autor: Bispo José Ildo Swartele de Mello)

Vimos como a natureza do Reino de Deus é derivada da própria natureza do Rei, que é Jesus. O estilo de vida do Rei Jesus e as características do seu ministério são o modelo para a vida e missão da Igreja. Mateus 9.35ss descreve o ministério de Jesus apresentando um resumo de tudo que envolvia seu ministério, que era uma missão integral. Pois, o texto diz que Jesus ia por toda parte, de aldeia em aldeia, num ministério itinerante, anunciando o Evangelho do Reino, ensinando, curando, com compaixão. Não só pregando, mas ensinando. Não só pregando e ensinando, mas também curando e atendendo as necessidades físicas e mentais dos carentes. Conforme Myers ressalta ao observar que os Evangelhos estão cheios de relatos de pregação, ensino, cura e expulsão de demônios: Palavra, obra e sinal. Concluindo que a missão transformadora da Igreja deve seguir o mesmo modelo.i Myers acrescenta comenta ainda que não se podia esperar que o Deus Trino se convertesse em um salvador solitário. De cara, Jesus escolheu doze pessoas comuns para estarem com ele para depois enviá-las ao mundo para seguirem com a mesma missão de fazer aquilo que Jesus mesmo vinha fazendo: pregar, ensinar, curar e expulsar demônios (Mc 3.13-15, 6.12-13). Pois a Missão é trabalho de uma comunidade.ii

Jesus é nosso modelo de Missão Integral, pois ele mesmo disse: “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo 20:21). Assim como vimos que o “ano do Jubileu” (Lv 25.8-17) teve o seu cumprimento em Jesus (Lc 4.21), podemos ver na Igreja a extensão deste cumprimento na sua ação após o derramamento do Espírito Santo. Pois a Igreja, como Corpo de Cristo, recebe a unção do Espírito, sendo capacitada para um ministério semelhante de proclamação das boas novas do Evangelho (At 2.14-42) e da justiça que é praticada em favor dos necessitados (2.43-47). Em Atos 4.32-5.11, vemos a mesma relação entre a ação do Espírito Santo e a Missão integral da Igreja, pois a comunidade recebe o Espírito (4.31) e em seguida pratica caridade para os pobres (4.32-37).


iMyers, Bryant L. Caminar con Los Pobres. Manual teórico-prático de desarrollo transformador. Buenos Aires: Kairós. 2002. P. 37.

iiMyers, Bryant L. Caminar con Los Pobres. Manual teórico-prático de desarrollo transformador. Buenos Aires: Kairós. 2002. P. 37.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

Lições extraídas da história de Mefibosete