quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Qual é o modo bíblico do batismo?


POR JOSÉ ILDO SWARTELE DE MELLO

“Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (Ef 4.5)

Enquanto muitos crentes entendem que a forma da aplicação da água do batismo não é algo fundamental, outros tantos não pensam assim, e fazem um cavalo de batalha sobre a questão, chegando ao ponto de desprezarem o batismo praticado por outras igrejas evangélicas. Infelizmente, ainda nos dias de hoje, essa questão segue produzindo divisão no Corpo de Cristo.
Creio que ainda existe muita ignorância e preconceito a respeito do assunto. Existem ainda muitos evangélicos que imaginam que o batismo por aspersão é uma invencionice católica. Um bom estudo do assunto, revelará que não é este o caso.

Whilliam Whitsitt, o terceiro presidente do Southern Baptist Theological Seminary, questionou o batismo por imersão, escrevendo em uma enciclopédia que , eles, os batistas "inventaram" a imersão em 1600, algo que, por séculos, havia deixado de ser praticado na igreja. É bem conhecida também a história do Dr. Edmund B. Fairfield que, incumbido pela Casa Publicadora Batista dos Estados Unidos de escrever um livro em defesa do batismo por imersão, após dois anos de profunda investigação, curvou-se diante de tantas evidências, mudou de opinião e acabou escreveu um livro em favor do batismo por aspersão.

À luz das Escrituras Sagradas, vamos analisar os principais argumentos utilizados por aqueles que defendem a imersão como o único método válido. Espero que isto possa servir de ajuda para uma melhor compreensão do assunto.


OS IMERSIONISTAS DIZEM QUE BATISMO SIGNIFICA IMERSÃO,

MAS IGNORAM QUE PRÓPRIO NOVO TESTAMENTO CHAMA DE BATISMO OS RITUAIS DE PURIFICAÇÃO QUE SE DAVAM NECESSARIAMENTE POR ASPERSÃO PARA ATENDER AS ESTRITAS PRESCRIÇÕES A LEI JUDAICA. VEJAMOS:


• "quando voltam da praça, não comem sem se aspergirem (do grego: baptisontai); e há muitas outras coisas que receberam para observar, como a lavagem (do grego: baptismos) de copos, jarros e vasos de metal e camas, (Mc 7.4 - Almeida Revista e Atualizada.). A palavra baptisontai é traduzida como aspergirem pois era assim que os judeus se purificavam antes das refeições. Eles não tinham que ser imersos em um tanque antes das refeições. Não faz sentido a imersão de camas.
• "O fariseu, porém, admirou-se ao ver que Jesus não se lavara (do grego: ebaptishê) primeiro, antes de comer.” (Lc 11.38). O ritual de lavar as mãos não se dava por imersão mas por derramamento de água sobre as mãos: ”Aqui está Eliseu, filho de Safate, que deitava (derramava) água sobre as mãos de Elias (2Rs 3.11).
• "os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções (do grego: batismos), impostas até ao tempo oportuno de reforma” (Hb 9.10). Tais batismos judaicos eram sempre por aspersão: ”assim lhes farás, para os purificar: asperge sobre eles a água da expiação” (Nm 8.7). “… essa pessoa será eliminada de Israel; porque a água purificadora não foi aspergida sobre ele” (Nm 19.13).
• A Septuaginta, a mais antiga versão grega do Antigo Testamento, diz que Nabucodonosor seria "batizado no Orvalho do Céu” (Dn.4.25).
Portanto, o termo batismo também significa derramamento e aspersão, caindo por terra o argumento imersionista de que batismo significa apenas imersão. O termo aspersão aparece mais de duzentas vezes no Antigo Testamento e várias vezes no Novo Testamento, enquanto imersão é coisa rara. Não existe nenhum mandamento e nenhuma orientação para que o batismo seja realizado por imersão.


OS IMERSIONISTAS DIZEM QUE O BATISMO TEM QUE SER POR IMERSÃO, POIS É COMPARADO A UM SEPULTAMENTO (RM 6.4; CL 2.12),

MAS O BATISMO TAMBÉM É COMPARADO COM LAVAGEM DOS PECADOS QUE SE DAVA POR ASPERSÃO:

• "Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados”. (At 22.16).
• "Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei." (Ez 11:19).

É COMPARADO COM O DERRAMAMENTO DO ESPÍRITO SANTO, MELHOR REPRESENTADO POR ASPERSÃO OU DERRAMAMENTO DE ÁGUA.

• “… ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador” (Tt 3.5–6).
• “Até que sobre nós se derrame o Espírito lá do alto”. (At 1:5).
• “O Espírito Santo desceu sobre eles, como no princípio descera sobre nós. Lembrei-me da palavra do Senhor, como disse: João na verdade batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo” (At 11:15-16).
• Eu vos tenho batizado com água; ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo.
• (Mc 1.8). O Espírito sempre foi aplicado à pessoa, nunca a pessoa ao Espírito. E a água também é aplicada a pessoa por aspersão conforme a Lei Mosaica.
• "e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea como pomba" (Lc 3.22).
• A promessa de que Deus daria um novo coração e poria seu Espírito dentro do seu povo começou a se cumprir no derramar do Espírito Santo no dia de Pentecostes e é descrita por Deus em termos de um batismo por aspersão: "Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis." (Ez 11:19–20; Ez 36.25–27).
• Há três símbolos, na Bíblia, do Espírito Santo. Óleo, Água e fogo, todos aplicados de cima para baixo. O óleo na cabeça (1Sm 10.1-6); a água era aspergida (Ez 36.25-27) e línguas como de fogo posaram sobre a cabeça dos cristãos no dia de Pentecostes como sinal do Batismo com o Espírito Santo e com fogo (At 2.3-4). O que faz lembrar o batismo de fogo de Isaías: “Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniquidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.” (Is 6.6-7).
• Se o termo batismo apenas significasse imersão como poderia ser utilizado como uma referência ao derramar do Espírito Santo? “até que se derrame sobre nós o Espírito lá do alto” (Is 32:15); "Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes” (Is 44.3); “derramarei do meu Espírito sobre toda carne” (Jl 2); “eu na verdade batizo com água... mas ele vos batizará com o Espírito Santo” (Lucas 3:16); “o Espírito Santo veio sobre vós” (At 1:5).
• O Espírito , a água e o sangue concordam em propósito redentor e purificador, seriam natural que concordassem no modo de sua atuação, os três sendo derramados sobre os crentes como dádivas da graça divina. “E três são os que testificam na terra]: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito” (1Jo 5.6–8).
• “Sendo assim, aproxime-mo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada, e tendo os nossos corpos lavados com água pura”. (Hb 10.22).

É COMPARADO A ASPERSÃO DO SANGUE DE CRISTO

• “Este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vocês." (Lc 22.20)
• “eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas”. (1Pe 1.2)
• "Então, tomou Moisés aquele sangue, e o aspergiu sobre o povo, e disse: Eis aqui o sangue da aliança que o Senhor fez convosco” (Ex 24.8, cf Hb 9.19).


É COMPARADO A PASSAGEM PELO MAR VERMELHO E A NUVEM QUE ESTAVA SOBRE O POVO DE ISRAEL NO DESERTO,

• "tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés” (1Co 10.2).
• Batizados na nuvem e no mar só por aspersão, pois não dá para Moisés ter imergido o povo na nuvem, mas dá para a nuvem derramar água sobre o povo. E quanto ao batismo no Mar Vermelho, sabemos que não foi por imersão, pois o povo de Israel passou a pé enxuto. No máximo, umas gotas respingaram sobre eles. Somente os inimigos de Deus foram submersos naquele mar no final daquele tremendo dia!

É COMPARADO TAMBÉM A ARCA NO DILÚVIO

A Arca não imergiu mas as águas do Dilúvio foram derramadas sobre ela.
• "os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvas, através da água, 21 a qual, figurando o batismo, agora também vos salva…” (1Pe 3.20–21).


OS IMERSIONISTAS DIZEM QUE JOÃO BATIZAVA ONDE HAVIA "MUITAS ÁGUAS” PARA PODER REALIZAR BATISMOS POR IMERSÃO (JO 3.23),

MAS IGNORAM QUE A EXPRESSÃO “MUITAS ÁGUAS”, EM GREGO, SIGNIFICA MUITAS FONTES.



OS IMERSIONISTAS DIZEM QUE PELO FATO DE FILIPE E O EUNUCO TEREM DESCIDO E SAÍDO DA ÁGUA O BATISMO SE DEU POR IMERSÃO (AT 8.38-39),

MAS "DESCER ÀS AGUAS" NÃO SIGNIFICA IMERSÃO

• “Disse mais o Senhor a Gideão: Ainda há povo demais; faze-os descer às águas, e ali tos provarei; aquele de quem eu te disser: este irá contigo, esse contigo irá; porém todo aquele de quem eu te disser: este não irá contigo, esse não irá. Fez Gideão descer os homens às águas. Então, o Senhor lhe disse: Todo que lamber a água com a língua, como faz o cão, esse porás à parte, como também a todo aquele que se abaixar de joelhos a beber.” (Jz 7.4–5).
• Se, no batismo do eunuco etíope, a expressão "descer à água” significasse imersão, teríamos que concluir que o Filipe também foi imerso, pois é dito que ambos desceram à água. "Então, mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco” (At 8.38). Não existe também a menor possibilidade de que este batismo se desse por imersão porque naquela região do deserto não existe lugar algum para batizar alguém por imersão. O que se encontra é um mero filete d’água da espessura de um dedo. Alguns imersionistas alegam que eles teriam consigo recipientes com água em uma viagem pelo deserto, de modo que não necessitariam de um local com água para um batismo por aspersão. Mas, é possível que o eunuco entendesse como sinal positivo da providência divina estarem passando por perto de uma fonte d’água justamente na hora que Felipe discorria sobre a necessidade do batismo, além disto, segundo o Didaqué, água corrente é preferível a água parada.
• Descer á agua significa apenas que foram ao local onde havia água.
• "Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele.” (Mt 3.16). A preposição grega utilizada aqui é "apó" traduzida por "da" e não “ex” cuja tradução seria "de dentro da”. A preposição “apó" também é utilizada em Atos 9.8 que diz: “se levantou Saulo da terra”. Sabemos bem que Saulo não se levantou de dentro da terra. Ele caiu do cavalo e se levantou. Do mesmo modo, Jesus poderia ter saído da água, sem ter sido imerso.
• Os desenhos mais primitivos, todos, sem exceção, mostram João batizando a Jesus por aspersão, ainda que seus pés estivessem dentro do Rio Jordão.
• Lucas diz que Paulo foi batizado em pé em uma casa (Atos 9.18). “Levantou-se e foi batizado”, o particípio grego “anastas” indica que houve uma ação simultânea entre o levantar e ser batizado. Não haviam tanques para imersão nas casas dos judeus daquela época. Paulo estava fraco por estar há três dias sem se alimentar. E sabemos que o costume milenar dos judeus era batizar por aspersão de acordo com a lei de Moisés.
• Os batismos registrados no Novo Testamento ocorriam imediatamente após a conversão, não importando onde estivessem, se numa casa, cidade, deserto, etc. Não se tem registro de adiamentos ou de pessoas se locomovendo para um local apropriado para imersão. Três mil foram batizados em um só dia na cidade de Jerusalém, onde não havia rio, nem lago. Não se sabe da existência de enormes tanques. Ainda que houvesse, os judeus não permitiriam o uso, por perseguição aos cristãos e também para evitar a contaminação da água. Seria complicadíssimo também por conta da existência de apenas 12 ministros para a celebração. O Batismo de Cornélio e sua família aconteceu na casa dele, imediatamente após o derramar do Espírito Santo (At 10.47). O carcereiro e toda a sua família foram batizados de madrugada em sua própria casa onde certamente não havia piscina.


OS IMERSIONISTA DIZEM QUE O BATISMO POR ASPERSÃO É PRÁTICA MODERNA E UMA INVENÇÃO CATÓLICA,

MAS IGNORAM QUE OS JUDEUS JÁ PRATICAVAM O BATISMO POR ASPERSÃO DESDE PELO MENOS 1.500 ANOS ANTES DE CRISTO. QUE ELE ESTÁ ORDENADO NA LEI DE MOISÉS. PORTANTO, NEM MESMO FOI O JOÃO BATISTA O CRIADOR DO BATISMO COM ÁGUA.

• O ritual de purificação do pecador, ou batismo de arrependimento, era prática comum em Israel: “Para o imundo, pois, tomarão da cinza da queima da oferta pelo pecado e sobre esta cinza porão água corrente, num vaso. Um homem limpo tomará hissopo, e o molhará naquela água, e a aspergirá sobre aquela tenda, e sobre todo utensílio, e sobre as pessoas que ali estiverem; como também sobre aquele que tocar nos ossos, ou em alguém que foi morto, ou que faleceu, ou numa sepultura. O limpo aspergirá sobre o imundo ao terceiro e sétimo dias; purificá-lo-á ao sétimo dia; e aquele que era imundo lavará as suas vestes, e se banhará na água, e à tarde será limpo. No entanto, quem estiver imundo e não se purificar, esse será eliminado do meio da congregação, porquanto contaminou o santuário do Senhor; água purificadora sobre ele não foi aspergida; é imundo.” (Nm 19.17–20).
• Promessa do AT que se cumpre no batismo cristão: "Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. 26 Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. 27 Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis. (Ez 36.25–27).
• "Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei.” (Salmos 51:7).
• "Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes” (Is 44.3).
• "aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado (aspergido) de má consciência e lavado o corpo com água pura." (Hb 10.22).
• Didaqué, um dos mais antigos e respeitados documentos da Igreja Primitiva, considera válido tanto o batismo por imersão quanto por aspersão: “derrame três vezes água sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Did. VII, 3).
• Portanto, estão completamente equivocados os que afirmam que o batismo por aspersão é invenção católica. Lutero, Calvino e Wesley, que tanto protestaram contra as heresias católicas, reconheceram as bases bíblicas do batismo por aspersão.


OS IMERSIONISTAS DIZEM QUE JESUS FOI BATIZADO POR IMERSÃO POR JOÃO BATISTA NO RIO JORDÃO,

MAS IGNORAM QUE OS BATISMOS CELEBRADOS POR JOÃO ERAM UM CUMPRIMENTO DA LEI MOSAICA E DA PROFECIA DE MALAQUIAS QUE DIZ: “"EIS QUE EU ENVIO O MEU MENSAGEIRO, QUE PREPARARÁ O CAMINHO DIANTE DE MIM… PURIFICARÁ OS FILHOS DE LEVI. (ML 3.1–3). E A LEI EXPRESSAMENTE ORDENAVA QUE O BATISMO PARA PURIFICAÇÃO DOS LEVITAS DEVIA SER FEITO ATRAVÉS DA ASPERSÃO DA ÁGUA DA EXPIAÇÃO: ”TOMA OS LEVITAS DO MEIO DOS FILHOS DE ISRAEL E PURIFICA-OS; ASSIM LHES FARÁS, PARA OS PURIFICAR: ASPERGE SOBRE ELES A ÁGUA DA EXPIAÇÃO…” (NM 8.6–7). JESUS DISSE QUE A PROFECIA A RESPEITO DA VINDA DE ELIAS FOI CUMPRIDA POR JOÃO BATISTA.

• João como profeta não poderia introduzir um novo rito de purificação e se o fizesse, nenhum judeu, muito menos os fariseus e saduceus, que eram rigorosos observadores da lei, se submeteriam a uma forma estranha de batismo: "muitos fariseus e saduceus vinham ao batismo” (Mt 3.7).


COMO VIMOS, A BÍBLIA NÃO ENSINA QUE O BATISMO DEVE SER PRATICADO POR IMERSÃO, MAS ELA EXPRESSAMENTE ENSINA QUE HÁ SÓ UM BATISMO CRISTÃO. COMO JUSTIFICAR, ENTÃO, A PRÁTICA DO REBATISMO?


A CEIA DO SENHOR


A palavra grega para a Ceia do Senhor é deipnon que se refere a principal refeição do dia. Por conta disso, igrejas, como a de Corinto celebravam a Ceia do Senhor como um verdadeiro banquete, mas os membros chegaram ao ponto de abusar praticando glutonaria e bebedice, precisando serem severamente corrigidos por Paulo. Se o significado da palavra ceia levou eles a este erro, é possível também que o significado primário da palavra batismo tenha levado muitos a conclusão de que somente devesse ser praticado por imersão.

Assim como a quantidade de pão e vinho não é fundamental para comunicar o significado espiritual da Ceia do Senhor, assim também acontece com a quantidade de água na ministração do batismo por tratar-se de um símbolo exterior do lavar regenerador e purificador do Espírito Santo.
Injustificável e contraditória é a atitude de todos aqueles que fazem um cavalo de batalha em favor do batismo por imersão, desprezando os batismos realizados por seus irmãos de outras igrejas evangélicas, praticando o rebatismo, algo realmente antibíblico e que depõe contra a unidade da Igreja, enquanto que, não tem seguem o mesmo padrão no tocante a Ceia do Senhor, sentindo-se na liberdade para substituir o pão asmo por um pedacinho de pão fermentado e a taça de vinho por um mínimo cálice de suco de uva. Se afirmam veementemente que o batismo tem que ser rigidamente por imersão porque assim entendem que foi praticado originalmente, então, deveriam também celebrar a Ceia como uma refeição completa com pão asmo e vinho de verdade. Quanta contradição! E quanto desprezo, desrespeito e divisão por uma questão secundária!

ASPERSÃO É PRÁTICA E NÃO DISCRIMINA NINGUÉM

• Pode ser celebrada sem dificuldades e preparos especiais, em todas as circunstâncias, e em todos os locais, e até nas regiões onde existe carência de água: geleiras e desertos.
• Não causa constrangimentos e situações embaraçosas como às vezes acontece em batismos por imersão.
• Como batizar os que estão entubados em leitos de um hospital, os que possuem chagas abertas, tetraplégicos?
• Os que sofrem severamente de hidrofobia?
• Como Paulo e os demais cristãos primitivos batizavam os que se convertiam nas prisões? Como é bíblico e prático o batismo por aspersão!
• No final da década de 90, batizei por aspersão um menino de oito anos que estava à beira da morte. De outro modo, ele jamais poderia ter sido batizado.
• Batizei também por aspersão um senhor com 103 anos de idade na cidade de Estrela do Norte. Que dia memorável aquele!


PAULO REPREENDE AQUELES QUE DÃO EXCESSIVA ÊNFASE ÀS ORDENANÇAS EXTERIORES

Paulo combate o erro dos judeus convertidos que davam excessiva ênfase às ordenanças exteriores tais como a circuncisão, os rituais de purificação, os batismos, etc.
• "Porque não me enviou Cristo para batizar, mas para pregar o evangelho; não com sabedoria de palavra, para que se não anule a cruz de Cristo.” (1Co 1.17).
• "Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura.” (Gl 6.15).



Postagem em destaque

Uma crítica ao dispensacionalismo

Dispensacionalismo, o que é? O dispensacionalismo é um sistema teológico que ensina que haverá sete dispensações na história huma...