terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Saiba porque celebramos o Natal



Este vídeo é sobre o porque devemos comemorar o Natal e como. Trata da questão da data, das origens do Papai Noel, da árvore de Natal e da comercialização e secularização do Natal.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Celebrando a encarnação do Verbo

É justo celebrarmos a ocasião do nascimento de Jesus Cristo ainda que não seja possível precisarmos a data. De fato, a encarnação do Filho de Deus merece ser celebrada todos os dias, por que não também no dia 25 de dezembro? Devemos aproveitar a ocasião festiva para falar sobre o verdadeiro sentido do Natal. O Criador do sol veio ao mundo como a verdadeira luz que ilumina a todo homem!

O nascimento de Jesus foi comemorado por Maria e José, pelos pastores, pelos reis magos e pelos anjos. O arcanjo Gabriel disse que tal acontecimento seria motivo de alegria para todo o povo! "O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor." (Lc 2.10-11).

Celebremos o Natal, pois sem a encarnação não teríamos o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo; Não teríamos a cruz de Cristo e nem a ressurreição de Seu corpo. Deus não teria provado o seu amor pela humanidade e todos nós estaríamos ainda mortos em nossos delitos e pecados e perdidos, sem salvação.

Feliz Natal!
Bispo Ildo Mello

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

EVANGELIZAÇÃO INCONTESTÁVEL: UM ESTILO DE VIDA

Atos 2:37-45

37  Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?
38  Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.
39  Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar.
40  Com muitas outras palavras deu testemunho e exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.
41  Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.
42  E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.
43  Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos.
44  Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.
45  Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade.
46  Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração,
47  louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

“Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”


            Enquanto isso o que? O que acontecia “enquanto isso” e o Senhor lhes acrescentava os que iam sendo salvos? Qual é o método que o Espírito Santo estava usando naquela época? Vamos aprender com o Espírito Santo, sem limitar o poder dele. O Espírito Santo é bem mais criativo, e está acima das questões de métodos e técnicas. Quando nós permitimos, ele age de maneira poderosa através de nós. Isto não nos isenta de conhecermos os princípios pelos quais o Espírito Santo age. Assim como nosso corpo precisa de um esqueleto para se manter em pé, muito embora nós não vemos o esqueleto, mas o corpo, assim também precisamos do esqueleto dos princípios, onde a vida vai se manifestar (os nervos, a carne).

            Temos portanto os princípios, leis, mas devemos saber que o Espírito Santo é criativo na aplicação destes princípios de maneira individual com cada igreja.

Em atos, o princípio básico que a igreja estava desenvolvendo era a COMUNHÃO e a UNIDADE.


            A comunhão fala de relacionamentos. As pessoas se convertem na igreja, mas encontram na igreja pessoas guerreando umas contra as outras. O que vai acontecer é que os novos vão se perder, se ferir, morrer. Temos que entender que depois da unção do Espírito Santo, a igreja primitiva recebeu também a graça de entender que não poderiam viver um sem o outro. Eles entenderam que a unção não bastava, mas que ela veio para capacitar cada um a viver uma vida de relacionamento em família. Esta vida em família, de comunhão, trouxe um grande impacto missionário e evangelístico para Jerusalém.

Eles também ganharam a capacidade de colocar os pés sobre a base sólida da Palavra de Deus – a doutrina dos apóstolos. Eles priorizaram os relacionamentos, e a palavra de Deus ganhou em seus corações força e visão de uma estrutura sólida. Nada sólido e firme pode ser construído fora da rocha da palavra.

            Também havia temor. Eles levavam Deus a sério. Eles não brincavam com o evangelho, e levavam a sério a grande comissão de ganhar almas. Quem leva Deus a sério abre-se para as operações de seu poder. Quando há temor há operação sobrenatural de Deus. Esperamos o sobrenatural em nosso meio, mas não temos temor de Deus, e portanto ele não tem liberdade para manifestar o seu poder entre nós.

            Eles estavam também juntos e tinham tudo em comum. Priorizavam os relacionamentos. Todos os dias estavam atentando para as necessidades e carências uns dos outros, e não apenas para tomar café uns com os outros. Eles tinham a preocupação de abençoar uns aos outros, edificar uns aos outros. A visão que Deus quer colocar em nosso coração é que somos instrumentos úteis para produzir edificação no coração das pessoas. Toda vez que vamos à casa de alguém, devemos saber que estamos lá para edificá-lo. Isto não significa que devemos abrir a Bíblia e ter um sermão para o dia. A edificação vem através das atitudes, ações e reações, que vão produzir na vida do seu irmão crescimento. Imagine o que acontece quando visitamos alguém e nesta visita somos grosseiros, comemos desbragadamente, abrimos a geladeira do irmão.

            Para edificarmos a vida de nosso irmão não precisamos a cada dia de um belo sermão, mas de um estilo de vida coerente. Edificamos uns aos outros quando também conversamos sobre outros assuntos, por exemplo, a educação dos filhos, os acontecimentos da nação. Claro que podemos ser bíblicos e usar textos e princípios bíblicos, mas nossas conversas devem ser práticas e levar para a edificação, para o crescimento.

            Dentro desta visão de edificar uns aos outros é que o povo da igreja em Jerusalém vivia continuamente. Eles compartilhavam sua vida, não se sentiam donos de nada, eram realmente servos uns dos outros. O grande segredo de evangelizarmos as pessoas é mostrarmos para elas que viemos para servi-las e cuidar delas, cuidar de suas feridas, necessidades, mostrar para elas que são importantes e manifestar o amor prático de Deus.

O segredo do método de evangelização da igreja primitiva era esse: um estilo de vida de amor, edificação e serviço uns aos outros.


            Muitas vezes temos bons métodos de evangelização, mas somos egoístas e não temos o estilo de vida coerente com nossa mensagem.

            Atos 2:47 nos fala que os cristãos tinham a simpatia de todo o povo. Jerusalém tinha naqueles dias cerca de 17.000 habitantes (talvez somente os homens). Se considerarmos que tínhamos por volta de 500 irmãos que haviam se convertido, estes começaram a influenciar os outros com seu estilo de vida. Em Atos 2:41, no primeiro sermão de Pedro, 3.000 almas se converteram. Numa cidade com 17.000, isto significa aproximadamente 20%. Imagine se pudéssemos ganhar 20% de nossa cidade!

            Será que a igreja primitiva tinha um método estruturado? Uma cartilha com todos os detalhes impressos? Não, mas eles tinham uma cartilha ainda mais poderosa: um estilo de vida de amor, de serviço, de abundante graça. Não era possível contestar o estilo de vida deles. Por isto todo o povo gostava deles, não apenas alguns do povo. Deus acrescentava, devido ao estilo de vida deles, dia a dia, os que iam sendo salvos.


            Deus acrescentava dia a dia, porque aos poucos eles iam sendo integrados neste estilo de vida contagiante da igreja de Jerusalém. Estes que iam sendo salvos se tornavam em testemunhas para os outros que estavam na igreja, e viviam de maneira prática os princípios da Palavra de Deus que encantava as pessoas.

            Eles não ficavam preocupados se eles iam ser rejeitados, se iam ouvi-los, se iam ser contestados ou não. Mas ninguém contesta a honra e o temor a Deus, o respeito às pessoas, como eles acertávamos problemas que tinham entre eles. As pessoas que chegam até nós, estão interessadas em como vivemos, e menos interessadas nos argumentos que temos para convencê-las a seguir a Cristo.

            A maneira mais atuante e impactante de evangelizar não se concentra na metodologia que desenvolvemos, mas o nível de unidade e comunhão, de vida prática de amor e serviço. Isto é que faz realmente a diferença. O que impressiona é o estilo de vida de relacionamento que evangeliza, e não o método que evangeliza.

            De que nos adianta sermos exímios evangelistas, cheio de técnicas e estratégias, mas o testemunho da vida, o estilo de vida nega a prática evangelística: grosseria em casa, problemas com a mulher e os filhos, falta de acerto, tristeza, etc.

            Sabe como fechamos as portas de saída da igreja? Não é o sistema perfeito de retenção de frutos, de novos convertidos! Mas é o cuidado pessoal com cada nova ovelha. Jamais o impacto do amor pode ser substituído por qualquer sistema ou método de evangelização.

Jamais o impacto do amor pode ser substituído por qualquer sistema ou método de evangelização.


            O que as pessoas precisam saber e conhecer é o nosso estilo de vida de amor. Não significa que desprezamos os métodos de evangelismo. Mas prefiro andar no meu passo, talvez mais lento, mas prefiro andar lento e chegar, a correr e quebrar a perna pelo caminho.

            Abra as portas da sua casa. Em vez de somente procurar ir à casa das pessoas, em São Paulo, onde o medo da violência é constante, convide as pessoas para ir à sua casa. Leve-as à sua casa, para tomar um café com você. Todos nós temos contato com pessoas não cristãs. Mesmo sendo cristãos há muito tempo, todos nós temos um ponto de contato com pessoas diariamente que não conhecem a Deus.

            Não podemos nos ater somente ao legalismo da letra. O Espírito é quem vivifica esta letra, aplicando-a de maneira prática para produzir o resultado desejado. (Exemplo pessoal do pastor de como ele está organizando seu grupo em Atibaia, fazendo contatos com as pessoas, estabelecendo relacionamentos, mesmo durante a caminhada que faz).

            O que nos falta mesmo é AMOR PELO PERDIDO, e não mais técnicas de evangelismo e relacionamento. De que adiantam as técnicas para abordar pessoas sem o AMOR POR ELAS. As pessoas querem ver Cristo em nós, e não somente ouvir de nós sobre Cristo.

            O problema é que queremos antes as técnicas do que a vida. Queremos que tudo esteja formado e estruturado, e depois a vida. Mas na verdade primeiro o óvulo e espermatozóide se juntam, sem forma, mas ali já existe vida.

            Os contatos vão surgindo. Quem não tem vizinhos? Faça um bolinho, e leve para eles. Se não sabe fazer bolo, compre na padaria. Ou então um vidro de compota, ou doce de abóbora. O problema todo é que não estamos dispostos a desenvolver relacionamentos, a sermos amigos das pessoas, a gastar o nosso tempo com elas.

            A metodologia mais eficaz ainda é o amor. Temos que ter em mente, contudo, alguns segredos e dicas:

·       Se ele rejeita você, ame-o, mas não o rejeite também.
·       Se ele contesta os seus argumentos, não conteste você a ele, ame-o.
·       Não condene as pessoas por suas práticas não cristãs que você não aceita ou não pratica mais.
·       Fale sempre do amor de Deus. Demonstre o amor de Deus de forma prática. Não entre em discussões religiosas, de coisas que podem e não podem.
·       Nunca se coloque acima da pessoa. Fale “nós somos pecadores não é mesmo”? E você gostaria de ficar livre do poder do pecado. Eu experimentei isso em Jesus, sabe como? E então podemos contar resumidamente nosso testemunho.
·       O argumento do amor jamais será contestado!

(Exemplo da senhora que estava usando uma fitinha do Senhor do Bonfim. Ela usa porque alguém a amou, se lembrou dela e trouxe a fitinha. Quando alguém cristão a amar também, e se interessar por ela, ela vai tirar a fita do bomfim e receber deste cristão a Jesus e todas as demais coisas.)

Desfruto do companheirismo da pessoa mais importante de minha vida, que me diz: “se ninguém estiver com você, saiba que eu estarei sempre com você”. Esta pessoa é minha esposa. Não poderia estar a frente de uma igreja deste tamanho, sem o apoio, a oração, a intercessão e o companheirismo de minha esposa. E você, esposa, tem apoiado o seu marido? Ou você pensa que o ministério é somente dele?


            Conselho prático: nunca comecem nada fora do horário. Se dermos um mau testemunho de algo pequeno, como começar no horário, não poderemos ser fiéis nas coisas grandes. Quando chegamos atrasado num compromisso, estamos dizendo que as outras pessoas não são importantes para nós.


Método de evangelismo: 
um estilo de vida de amor, edificação e serviço.
           






Pr. Carlos Alberto Q. Bezerra

Comunidade da Graça

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Vejam Só "Quando Deus irá cumprir as promessas territoriais feitas a Ab...



Minha opinião a respeito do assunto:

Promessas feitas a Abraão cumprindo-se em Cristo 


Pensativo a respeito de como se dará o cumprimento da promessa relacionada a Terra Prometida, debrucei-me sobre as Escrituras em busca de resposta. Segue algumas considerações a respeito.

Um texto que me chamou bastante a atenção foi Hebreus 11.9-10, que claramente diz que Abraão, Isaque e Jacó habitaram em tendas na Terra Prometida de Canaã, considerando-a como terra alheia, porque nutriam a esperança de uma outra espécie de terra prometida, de caráter celestial, cujo arquiteto e construtor é o próprio Deus; O que nos faz lembrar das palavras de Jesus que disse aos discípulos que deveria subir aos céus para construir nossa definitiva habitação! Portanto, para o autor de Hebreus, a esperança dos patriarcas quanto a terra prometida é a mesma da Igreja: "Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo" (Fp 3.20). Por isso é que o autor de Hebreus arremata a questão dizendo: "Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade" (Hb 11:13-16). De modo que as Escrituras do Novo Testamento não vêem as promessas da Terra Prometida encontrando um cumprimento terreno, mas celestial: "Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador" (Hb 11:9-10 ).

Outro texto bastante esclarecedor é o de Paulo, em Romanos 4.13, que diz: "Não foi por intermédio da lei que a Abraão ou a sua descendência coube a promessa de ser herdeiro do mundo, e sim mediante a justiça da fé". Onde se vê que a promessa da terra é uma profecia que diz respeito aos descendentes espirituais de Abraão, judeus e gentios crentes em Cristo, herdeiros de todo o mundo renovado e celestial, uma nova terra, uma nova Jerusalém, ou seja, uma nova Canaã!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

A grandeza de servir



Este vídeo é sobre A grandeza de servir. Sabendo que todas as coisas estavam debaixo de seus pés, a atitude subsequente é a atitude serviçal de lavar os pés dos discípulos. (João 13.3-5)


"Deus é invisível, mas deixou seu Corpo. É nosso dever tornar Deus visível para as pessoas através de atos cotidianos de amor.” (João Wesley)

"Quem quiser ser o primeiro seja o servo de todos. A grandeza está em servir. O maior é o que serve.” (Jesus)

 “Todos nós podemos ser grandes, porque todos podemos servir!” (Martin Luther King)

"Nós não temos que fazer grandes coisas, mas pequenas coisas com grande amor!” (Madre Tereza de Calcutá)

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Uzá e a questão da reverência a Deus



Temor e reverência a Deus (2 Samuel 6.1-6)

Por ser filho de Abinadabe, Uzá acabou se acostumando com a Arca que em sua casa ficou cerca de vinte anos. Tal bênção não foi devidamente valorizada, caiu na rotina, e Uzá acabou perdendo o devido temor e reverência a Deus.

O caso de Uzá, em certo sentido, faz lembrar o Hofni e Fineias que cresceram na família sacerdotal e acabaram perdendo o temor de Deus e incorreram em grave pecado que os levou a morte.

É tão triste quando os da família da fé não reconhecem o valor de sua herança espiritual. Não leem as Escrituras, não prestigiam as reuniões de oração e os cultos, não participam da Ceia do Senhor ou participam dela como se fosse um ritual qualquer, vazio de significado. Não demonstram gratidão e amor a Deus e a Igreja de Cristo. Não possuem e nem buscam a plenitude do Espírito e não tem compromisso com a Grande Comissão. São mornos ou frios em sua fé. Insensíveis a voz de Deus.

Os de fora da igreja, quando se convertem, dão muito mais valor ao Evangelho. O temor do Senhor é o princípio da sabedoria que faltou a Uzá.

“A suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos ,porque isto é o dever de de todo o homem” (Eclesiastes 12:13).

domingo, 31 de maio de 2015

Prepara-te para te encontrares com o teu Deus!



"Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus" (Am 4:12).

A Parábola das 10 virgens (Mateus 25)

Existem dois extremos perigosos a respeito dos finais dos tempos: 

1) Terrorismo espiritual e 2) fazer pouco caso.

Enquanto uns fazem o maior alarde e vivem atemorizados com a perspectiva dos finais dos tempos, outros não estão nem aí para a Segunda Vinda de Cristo. Buscam a Deus apenas por questões relacionadas a era presente. "Se é somente para esta vida que temos esperança em Cristo, dentre todos os homens somos os mais dignos de compaixão". (1 Coríntios 15:19)

Os cristãos não tem o que temer. 

A Segunda Vinda é uma boa notícia para os crentes. Os verdadeiros cristãos anelam por ela, clamando: "Maranata! Vem Senhor Jesus!", e nem temem a própria morte, pois, como Paulo, podem dizer: "desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor" (Filipenses 1:23). Devemos amar a Segunda Vinda de Cristo: "Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda" (2 Timóteo 4:8). 

No entanto, a Segunda Vinda representa ameaça de juízo para aqueles que não estão preparados e forem encontrados desprovidos do azeite em suas lâmpadas. O azeite é a fonte de luz da lâmpada. Não adianta ter a forma de lâmpada, pois, sem azeite, não há luz, mas apenas trevas. "Deus "retribuirá a cada um conforme o seu procedimento". Ele dará vida eterna aos que, persistindo em fazer o bem, buscam glória, honra e imortalidade. Mas haverá ira e indignação para os que são egoístas, que rejeitam a verdade e seguem a injustiça." (Romanos 2:6-8).

Ninguém sabe a hora. 
Os sinais não foram dados para sabermos a data do retorno de cristo.
Jesus Cristo, no Sermão das últimas coisas, nos ensinou que sinais devem preceder sua Segunda Vinda. Os sinais não têm a intenção de nos conceder condições para precisar o dia da Segunda Vinda. Jesus denuncia a fascinação por cálculos (Mt 24.33-36). Os sinais mencionados por Cristo são inespecíficos para este fim, antes, o propósito é preparar o povo de Deus com a compreensão das pressões que terá de suportar. O propósito de Jesus é encorajar, não a especulação, mas a vigilância - fortalecer a fé e advertir os discípulos do que será a sua sorte como seguidores dela. Se os cristãos atentarem para as palavras de Cristo, saberão que a situação não está fora do controle de Deus, e que tem da parte Dele ajuda para perseverarem até o fim e serem salvos (Mc 13.13). Lembrando também que as tribulações do presente não se comparam a glória que está por vir com o retorno triunfante do Filho do Homem (Mc 13.24-27).

Por que Deus esconde a data?

Deus esconde a data do fim dos tempos para que cada geração de crentes viva como se fosse a última.

Devemos estar sempre vigilantes, pois não sabemos quando se dará sua Segunda Vinda e também porque nosso encontro com Cristo pode se dar através da nossa própria morte. (Mt 24.42-25.13).

É recomendável que, no final de cada dia, façamos um exame de nossa própria consciência. "Examina-me, Senhor, e prova-me; esquadrinha os meus rins e o meu coração" (Salmos 26:2). Devemos viver a cada momento como se fosse o último! Devemos viver sob a luz da eternidade.

Como disse, Wesley: "o cristão deve estar sempre pronto para pregar e para morrer".

Por que razão demora? 
A demora tem a ver com a paciência de Deus que trabalha em favor de nossa conversão (2 Pedro 3.9). Concede tempo para que as lâmpadas sejam cheias de azeite. Não se canse de esperar. Não abuse da paciência de Deus. Cuidado com o relaxamento. Não negligencie a oportunidade que Ele lhe oferece hoje. "Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação" (2 Coríntios 6.2). Amanhã pode ser muito tarde!

"Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!" (Mateus 25:13)

Bispo José Ildo Swartele de Mello

sábado, 30 de maio de 2015

Os salvos passarão a Eternidade em um Éden recuperado, ou a Nova Jerusalém é algo diferente?




Programa Vejam Só de 29 de Maio de 2015 debatendo sobre se os salvos passarão a Eternidade em um Éden recuperado, ou a Nova Jerusalém é algo diferente? 
Como será a Nova Jerusalém? As Escrituras indicam que será um lugar maravilhoso onde os salvos passarão a Eternidade junto ao Criador. Porem, esse local pode nos lembrar de um outro lugar também maravilhoso criado para o homem, o Éden. 
Curiosamente, as Escrituras parecem apontar que existem elementos que aparecem tanto no Jardim do Éden no Gênesis, quanto no livro de Apocalipse ao se descrever a aparência da Nova Jerusalém. 
Seria esta árvore da vida a mesma que estava no centro do Éden? E, se for, como compreender a natureza do Estado Eterno? Os salvos passarão a Eternidade em um Éden recuperado, ou a Nova Jerusalém é algo diferente?
Convidados da noite: Bp. JOSÉ ILDO MELLO e o Pr. JOSÉ CARLOS DE LIMA.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Anotações que fiz da excelente mensagem do General André Cox

Anotações que fiz da excelente mensagem do General André Cox no Congresso do Exército de Salvação na noite de 29 de Abril na Catedral Metodista de São Paulo.

Somos o povo mais feliz do mundo!
Vivemos em um mundo cheio de incertezas.
Privilégio por dizer: "tudo vai bem pois meu redentor vive."
Deus nos chamou para sermos suas testemunhas no mundo!
As pessoas percebem que você segue a Cristo pelo seu testemunho.
Problema: Muitos de nós perseguimos os mesmos objetivos de vida que os pagãos. Qual a diferença?
Não pode ser apenas o fato de irmos aos cultos.
Deus nos transforma através do poder do Espírito que em nós atua.
Nenhum de nós é um produto finalizado. Ainda não recebemos o diploma.
As pessoas devem ver os frutos do Espírito em nós.
Materialismo e secularismo estão invadindo a igreja.
É triste quando os cristãos, em vez de estarem influenciando positivamente o mundo como sal e luz, estão sendo negativamente influenciados pelo mundo.
Infelizmente, muitos cristãos sabem mais sobre o que está passando na TV do que o que está nas Escrituras Sagradas.
Mateus 6:19-30
Lemos a história de Nicodemus, religioso, conhecedor, mas sem transformação de vida.
Nossa transformação vem do alto!
Romanos 8;13-16 "se viverem de acordo com a carne morrerão".
Nicodemus era como muitos cristãos que só conhecem a Deus na teoria e não na pratica.
Como ser avivado se não escutamos as Escrituras?
Novo nascimento assegurado pela fé.
Jesus simplificou: " todo o que ouve e crê passou da morte para a vida” (Joao 5)
.
O Novo Testamento exige que que viremos as costas para o pecado.
Justificação implica no cancelamento de nossos pecados. Alforria! Foram apagados e esquecidos.
Já ouviu falar de fofoca na igreja quando se assassina a reputação do próximo?
Deus nos chama a estar ao lado dos oprimidos.
Somos um povo que crê em mudança e transformação de vida!
Por quê? Porque aconteceu com a gente!
Sejamos um povo de bênção para os outros!
Deus nos capacita a vivermos uma nova vida capaz de impactar e transformar o mundo.
Pena ver tanta gente convencida que julga não ter muito mais a aprender. Estes tais acabam não chegando até o fim. 
Será que a nossa vida reflete a graça de Deus?
Nós somos um povo de experiência de salvação, não apenas articuladores teóricos.
Não vamos ao culto que para entreter-nos a nós mesmos, mas para ouvir a Deus e sermos transformados por ele. 
Precisamos abrir o coração.
Deus quer que você seja como Cristo.
Este é o seu anelo!
Cântico:
"Ser como Cristo, como Ele anseio ser,
Em pensamento e ação, eis minha petição.
Ser como Cristo, com Ele sempre andar,
Por Seu Espírito, assim serei."

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Namoro cristão: 10 dicas para encontrar a pessoa certa!

  1. Busque o Reino de Deus em primeiro lugar (Mt 6.33; Pv 19.14). Pois temos a promessa de que as demais coisas nos serão acrescentadas! "Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará" (Sl 37.5). Jesus definiu qual deve ser a prioridade de nossa busca. Feito isto, estamos equipados para as demais buscas da vida. Posso testemunhar que, quando decidi me consagrar ao Senhor, foi que eu conheci a Cristina! 
  2. Busque valorizar-se adequadamente (Mt 22.39; Ef 5.28). Jesus ensina que devemos amar o próximo assim como amamos a nós mesmos. Portanto, devemos amar devidamente a nós mesmos. Quando não conseguimos apreciar nosso valor acabamos dando lugar a uma série de coisas malignas que irão estorvar nossos relacionamentos sociais. Deus te ama e te dá valor!
  3. Busque uma pessoa que tema o Senhor, de bom caráter e que te aproxime mais de Deus (Pv 1.7; 14.27; 22.1; 2 Co 6.14; Gl 5.22-23). Cuidado, pois há muitos cristãos nominais, procure alguém que manifeste os frutos do Espírito.
  4. Busque em lugares certos. Há muitos riscos em buscar relacionamentos através da internet e baladas, por exemplo.
  5. Busque estabelecer amizade para conhecer a pessoa antes de mais de nada (Pv 8.12; 21.5; 1 Co 8.2).
  6. Busque uma pessoa que trate bem seus familiares (1Tm 5.8; 2Tm 3.1-5).
  7. Busque uma pessoa trabalhadora e responsável (Pv 13.4; 15.19; 19.15;  21.25; 31.15, 17 e 27).
  8. Busque uma pessoa que administre bem suas finanças (Gn 39.1-6; 41.33-39; Pv 12.27; 22.3; 31.18; Mt 24.45).
  9. Busque uma pessoa por quem você nutra admiração (Ct 2.2-3; 6.4; Pv 31.28-30).
  10. Busque uma pessoa que tenha afinidade com você. Pois, se por um lado, os opostos se atraem, por outro, eles também não se entendem. No passado, o relacionamento amoroso era visto como algo do tipo "tampa e panela", no entanto, hoje em dia, tem mais chance de felicidade o do tipo "almas gêmeas". A idéia de duas metades que complementam uma a outra deu lugar ao conceito de dois inteiros que interagem e se unem em amor. No passado, a mulher era mais submissa, enquanto que, atualmente, as decisões são mais igualmente partilhadas. Homens e mulheres também estão vivendo mais e tendo também mais tempo para passeios e férias.  Portanto, quanto mais gostos e interesses em comum, melhor para a harmonia do casal.
Bispo José Ildo Swartele de Mello

sábado, 4 de abril de 2015

Uma breve reflexão sobre a Páscoa

Entre a Sexta-feira da Paixão e o Domingo de Páscoa, temos um período difícil de espera para os discípulos que estão sofrendo intensamente o impacto da morte do Cristo. Não é fácil crer quando o mal parece triunfar sobre o bem, quando as trevas parecem ter sufocado a luz, quando todos os indícios é de que sua fé foi em vão. Aquele foi um longo e triste sábado. Entre a primeira e a segunda vindas de Cristo também há um longo e difícil período de espera em que nossa fé e esperança são constantemente desafiados. Não desanime diante das circunstâncias. Jesus dirigiu as seguintes palavras a seus amados seguidores: "No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, pois eu venci o mundo". A história não termina na Sexta-feira da Paixão. O Domingo se avizinha cheio de vida e esperança! Não tenha medo! Confia Nele e anime o seu coração.

Jesus assumiu nossa morte, triunfou sobre ela e nos deu sua vida! A morte deu lugar a vida, as trevas se dissiparam com a chegada da luz que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem!

Feliz Páscoa!

Bispo José Ildo Swartele de Mello

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Existe diferença entre Evangelho do Reino e da graça, ou seja, existem dois Evangelhos, um para judeus e outro para gentios?

Programa Vejam Só que foi ao ar no dia 31 de Março de 2015 debatendo o tema: Existe diferença entre Evangelho do Reino e da graça, ou seja, existem dois Evangelhos, um para judeus e outro para gentios?

quarta-feira, 25 de março de 2015

A imitação de Cristo

"Lembra-te a miúdo do provérbio: Os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos de ouvir (Ecle 1,8). Portanto, procura desapegar teu coração do amor às coisas visíveis e afeiçoá-lo às invisíveis: pois aqueles que satisfazem seus apetites sensuais mancham a consciência e perdem a graça de Deus." (Tomás de Kempis - A Imitação de Cristo - Capítulo 1)

O centro do culto

Deus deve estar no centro do culto, não as nossas emoções, não as nossas preferências, não os nossos interesses, não nós mesmos. A primazia pertence a Cristo. Ele deve ser o centro de nossas atenções, não os músicos, não os cantores, não os pastores, não a congregação. A Ele seja a honra e a glória para sempre!

Bispo Ildo Mello

sexta-feira, 13 de março de 2015

Programa Vejam Só debatendo: "Segundo as profecias, podemos esperar um avivamento, ou o que virá será a apostasia?"

Programa Vejam Só debatendo: "Segundo as profecias, podemos esperar um avivamento, ou o que virá será a apostasia?" Este foi o tema do programa Vejam Só do dia 12 de Março de 2015.

Debatedores: Pr. José Serafim de Oliveira da Assembléia de Deus e Bispo Ildo Mello

Mediador: Eber Cocareli.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Uma crítica a canção: "Raridade"



Uma crítica a canção: Raridade
E uma análise dos malefícios do determinismo tanto para to indivíduo quanto para toda a sociedade.

Uma crítica a canção: "Raridade"

Não se deixe enganar! Transforme-se!



Mensagem sobre heresias destruidoras. Cuidado com aqueles que dizem o que você quer ouvir. Os falsos profetas são mestres nisto.
Cuidado com mensagens que nos fazem sentir confortáveis com o pecado. Deus tem um bom e perfeito plano para nossas vidas, mas ele não se cumprirá de um jeito ou de outro. Paulo ensina em Romanos 12.1-2 que para experimentarmos a boa, perfeita e agradável vontade de Deus é necessário tomarmos 3 atitudes: 
1) Oferecermos nossas vidas a Deus em sacrifício vivo, 
2) Não nos amoldarmos aos padrões morais e valores deste mundo, e 
3) sermos pró-ativos em busca de transformação através da renovação da nossa mente.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

João Wesley era pós-milenista

A maioria dos wesleyanos desconhece o fato de que João Wesley era pós-milenista e que tal visão escatológica exerceu um papel preponderante em sua confiança na supremacia da graça sobre os efeitos do pecado tanto no que diz respeito a santificação individual como também social. Por conta deste otimismo foi que ele se levantou contra a escravidão e toda a gama de injustiças sociais de seus dias. Entendo que existe uma série de preconceitos contra a posição pós-milenista e também contra a amilenista no contexto evangélico brasileiro. Muitos desconhecem a exatidão hermenêutica e a força dos argumentos pós-milenistas. Mais abaixo, palestra a respeito.

Um dos textos que revelam que Wesley era pós-milenista:

“Foi então que os fundamentos do inferno se abalaram e o Reino de Deus foi-se alargando progressivamente. Por toda parte havia pecadores ‘voltando-se das trevas para a luz e do poder de Satanás para Deus’... Assim se espalhou o Cristianismo sobre a face da terra. Ele havia ‘edificado sua igreja sobre a rocha e as portas do inferno não prevalecerão contra ela’(Mat. XVI:18). Veremos, porventura, maiores coisas do que estas? Sim, maiores do que as tem havido desde o começo do mundo. Pode Satanás fazer naufragar a verdade de Deus ou invalidar suas promessas? Se não, tempo virá em que o Cristianismo prevalecerá sobre todas as coisas e cobrirá a terra... O mundo cristianizado… Tendo, pois, considerado, ainda que brevemente, o cristianismo em seu começo, em seu crescimento e cobrindo, afinal, a terra.” (Wesley, John . Sermões de Wesley. Tradução Nicodemus Nunes. Imprensa Metodista. 3a. Edição – 1985. Volume 1, p. 90-91 e 93).

Recomendo que assistam a palestra que dei sobre o cumprimento histórico da impressionante profecia de Daniel 2: 


Veja também a apresentação em PowerPoint em anexo e no link abaixo:

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

PROMESSAS E CONDIÇÕES

PROMESSAS E CONDIÇÕES


O ano pode mudar, mas tudo continuará como está se não houver mudança de atitude. Pular sete ondas, vestir roupa branca, não comer aves que ciscam para trás, entre outras superstições, são pura perda de tempo.


Na primeira semana do ano de 1980, eu tomei uma atitude radical que mudou o curso de minha vida e da qual jamais me arrependi. Decidi entregar-me inteiramente a Cristo e retornar para a Igreja.  Foi uma decisão firme e que me trouxe inúmeras bênçãos. Eu busquei o Reino de Deus em primeiro lugar e Deus tem cuidado de mim (Mt 6.33)! Eu tenho provado e visto que o Senhor é bom (Sl 34.8)! Dou testemunho de que Ele sabe recompensar aqueles que O buscam (Hb 11.6)!


Se quisermos ser verdadeiramente abençoados, devemos atentar para a Palavra de Deus. Há uma série de promessas de bênçãos na Bíblia que não se cumprirão automaticamente em nossas vidas, pois elas vem acompanhadas de algumas condições a serem satisfeitas. Precisamos plantar para poder colher. Mas os resultados não são necessariamente imediatos. Fé em Cristo, com determinação e perseverança, são fundamentais! "E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos" (Gl 6:9).


Preparei uma tabela com algumas promessas e suas respectivas condições, na esperança de que isto lhe ajude a tomar atitudes corretas que lhe trarão as mais ricas bênçãos neste ano que se inicia.


Em amor,
Bispo Ildo Mello


Promessas

Condições

Textos Bíblicos

Experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus
Não se amoldar ao padrão deste mundo,
Transformar-se pela renovação da sua mente
Rm 12.2
Todas as coisas cooperam
Amar a Deus
Rm 8.28
Vida
Desviar-se do mal
Ez 33.19
Vitória nas adversidades
Apartar-se dos ídolos
Seguir o caminho de Deus
Sl 81.8-14
Uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês
Suprirá em glória todas as necessidades de vocês
Dar com generosidade
Lc 6.38
Fp 4.18-19
Bênçãos tão abundantes que nem terão onde guardá-las
Trazer o dízimo a Casa do Senhor
Ml 3.10
Ouvirei dos céus, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.
Reconhecimento humilde de culpa, oração e arrependimento.
2 Cr 7.14
Ricas bênçãos e salvação
Invocar com fé o nome do Senhor
Obedecer a Deus
Rm 10.12-13
Dt 11.27
Sobre o muito será colocado
Ser fiel no pouco
Mt 25.21
Seremos Salvos e Reinaremos com Cristo
Perseverar com Cristo
2 Tm 2.12; Mt 24.13; Lc 21.19; Rm 2.7 e Hb 10.36
Longevidade
Honra teu pai e tua mãe
Ex 20.12
Nenhum mal o atingirá, desgraça alguma chegará à sua tenda
Se você fizer do Altíssimo o seu refúgio


Salmos 91.9-10
Libertação e Proteção
Amar a Deus
Conhecer o Seu nome
Quietude e Confiança
Sl 91.14
Is 30.15
Felicidade e alegria plena
Confiar em Deus
Praticar a Palavra
Temer a Deus e ter prazer nos Seus mandamentos
Na presença de Deus
Sl 84.12
Jo 13.17
Sl 112.1
Sl 16.11
Será feliz e bem sucedido
Temer ao Senhor
Andar em Seus caminhos
Ser solidário com os pobres
Sl 128.1-2
Sl 41.1
Receberá uma revelação especial de Deus
Amar e obedecer a Deus
Jo 14.21
Boa Colheita
Colham o fruto da lealdade
O Senhor fará chover justiça sobre vocês
Perseverar em fazer o bem
Semear com lágrimas
Semear a retidão
Buscar ao Senhor
Gl 6.9
Sl 126.5
Os 10.12
Receberão 100 vezes mais
Ser capaz de deixar tudo por amor a Cristo
Mt 19.29
Receber a luz da vida
Seguir a Jesus
Jo 8.12
Vida Eterna
Proteção
Seguir a voz do Bom Pastor

Jo 10.27,28
Perdão e purificação
Confessar os pecados
Conceder perdão e misericórdia
1 Jo 1.9
Mt 6.14
Todas essas coisas lhes serão acrescentadas
O mais Ele fará
Deus agirá em seu favor
Buscar o Reino de Deus e a sua justiça,
Entrega o teu caminho ao Senhor e confia Nele
Mt 6.33
Sl 37.5
Receberá o galardão de profeta
Honrar os verdadeiros profetas de Deus
Mt 10.41
Será o maior
Conceder a uma criança a atenção devida a Cristo
Tornar-se o menor para servir os demais
Lc 9.48
Mc 9.35 e 10.44
Será honrado
Servir a Jesus
Não buscar lugar de destaque
Agir com humildade
Jo 12.26
Lc 14.10
Mt 23.12
Do seu interior fluirão rios de água viva
Crer em Cristo
Jo 7.38

Postagem em destaque

Uma crítica ao dispensacionalismo

Dispensacionalismo, o que é? O dispensacionalismo é um sistema teológico que ensina que haverá sete dispensações na história huma...