Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2018

Autoestima e vida abundante

O literalismo dispensacionalista e suas inconsistências

O literalismo dispensacionalista e suas inconsistências
Por Bispo José Ildo Swartele de Mello

O literalismo produz muitos equívocos de interpretação, por exemplo, Nicodemos, por conta do literalismo, não entendeu a linguagem figurada de Jesus, concluindo equivocadamente que nascer de novo era o mesmo que voltar ao ventre de sua mãe (Jo 3:4). E a mulher samaritana errou em interpretar literalmente a seguinte frase de Jesus “aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede”. Tanto que ela chegou a pedir para beber desta água para não precisar voltar a buscar água naquele poço (João 4:10-15). E os líderes judeus não entenderam a linguagem figurada de Jesus que falou do seu corpo como sendo templo e quiseram matar a Jesus por conta de sua errônea interpretação literal (Jo 2:21 e Mt 26:61).

O literalismo levou os dispensacionalistas a fazerem uma separação tão radical entre Israel e Igreja, chegando ao ponto de negarem que o Sermão do Monte seja uma mensagem de Crist…

Apocalipse 4 - Uma Porta Aberta para uma visão celestial

Tenho sede de Deus

VEJAM SÓ - A primeira ressurreição de Apocalipse. 20.4-6 é a mesma do a...

Participarei hoje, 15/05/18, do Programa Vejam Só, debatendo o significado da Primeira Ressurreição e do Milênio em Apocalipse 20

Participarei hoje do Programa Vejam Só, debatendo o significado da Primeira Ressurreição e do Milênio em Apocalipse 20. Na Rit TV às 23:35 h.

Conversão do coração dos pais aos filhos e dos filhos aos pais

Perdoar é lixar bem para remover toda a ferrugem que corrói os relacionamentos.

Quando eu era criança, costumava auxiliar meu pai na pintura do portão de ferro de nossa casa. Ele me ensinou que não se pode simplesmente pintar por cima da ferrugem. O primeiro passo é utilizar espátula, escova de aço e lixa de ferro para remover cuidadosamente toda a ferrugem. Aprendi também que depois do trabalho de remoção da ferrugem, é necessário passar o zarcão como medida protetiva. Então, depois destes dois passos, podemos finalmente pintar o portão. Se formos relaxados nas duas primeiras etapas, a pintura pode até ficar bonita, mas a ferrugem logo virá à tona.

O pecado é como a ferrugem que provoca terríveis corrosões nos relacionamentos humanos. Sem perdão não há verdadeira reconciliação. A ferida precisa ser devidamente espremida para expelir todo o pus a fim de que haja a cura. Perdoar é lixar bem para remover toda a impureza que corrói os relacionamentos.

Bispo Ildo Mello

A oração pode mudar o destino?

<p style=" margin: 12px auto 6px auto; font-family: Helvetica,Arial,Sans-serif; font-style: normal; font-variant: normal; font-weight: normal; font-size: 14px; line-height: normal; font-size-adjust: none; font-stretch: normal; -x-system-font: none; display: block;"> <a title="View Ezequias e as suas orações que mudaram o curso da história on Scribd" href="https://www.scribd.com/document/378364627/Ezequias-e-as-suas-orac-o-es-que-mudaram-o-curso-da-histo-ria#from_embed" style="text-decoration: underline;" >Ezequias e as suas orações que mudaram o curso da história</a> by <a title="View José Ildo Swartele de Mello's profile on Scribd" href="https://www.scribd.com/user/6289839/Jose-Ildo-Swartele-de-Mello#from_embed" style="text-decoration: underline;" >José Ildo Swartele de Mello</a> on Scribd</p><iframe class="scribd_iframe_embed" title="Ezequias e as suas…

O Pecado, a Misericórdia e o Juízo em Isaías 1

O Cristão e o Sábado

Isaías 40

A visão transformadora de Isaías

João Batista foi a reencarnação de Elias?

Sabemos que os espíritas alegam que João Batista foi a reencarnação de Elias. No entanto, o próprio João Batista negou ter sido o Elias. "És tu Elias? E disse: Não sou." (Jo 1:21).

Outro argumento contra a idéia de que João Batista tenha sido a reencarnação de Elias reside no fato de que, no monte da transfiguração, apareceram Moisés e Elias (Lc 9:30-31). Mas, se João Batista fosse a reencarnação de Elias, ele deveria ter aparecido, e não Elias, pois o próprio João Batista já havia falecido na ocasião e a doutrina espírita diz que a última reencarnação é a que conta para uma aparição.

Além do mais, a doutrina espírita diz que é necessário morrer para poder reencarnar, no entanto, Elias jamais morreu. Ele foi arrebatado com corpo e tudo. (2 Reis 2:11). O que aconteceu com Elias foi o mesmo que aconteceu com Enoque que "foi trasladado para não ver a morte" (Hebreus 11:5). Portanto, nem Elias e nem Enoque morreram, pois ambos foram transladados para não verem a morte!

A dúvida de um homem de fé

A dúvida de um homem de fé Introdução:
"És tu aquele que estava para vir ou esperaremos outro?" (Lc 7.20).

A dúvida de João Batista tem a ver com o fato dos judeus esperarem um Messias guerreiro como Davi que venceu o Golias (1Sm 17) e não um bondoso e pacífico pastor que curava os enfermos. João Batista era um homem como nós, sujeito às mesmas fraquezas. Ele foi preso e estava prestes a ser degolado pelo perverso Rei Herodes, e não havia sido liberto daquela prisão por Jesus. Portanto, suas expectativas de que Jesus fosse um messias guerreiro e libertador político não estavam se cumprindo. A partir dos sinais do Reino de Isaías 35, Jesus provou para João que ele era de fato o Messias prometido:  "os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres, anuncia-se-lhes o evangelho" (Lc 7.22).

Existem muitas profecias que mostram o Messias atuando como um pastor que "apascentará o povo na força do …

A Destruição atual de Damasco tem alguma coisa a ver com a profecia de Isaías?

Um erro grave é ler profecias bíblicas sem levar em consideração o seu contexto histórico. O profeta Isaías deixou claro que Damasco seria destruída e despojada naquele tempo pelo rei da Assíria: “Porque antes que o menino saiba dizer meu pai ou minha mãe, serão levadas as riquezas de Damasco e os despojos de Samaria, diante do rei da Assíria.” (Is 8.4).

Cerca de 738 aC, os sírios, liderados por Rezim, uniram forças com Peca, rei de Israel, para subjugar Judá. Muitas terras foram capturadas, embora o cerco de Jerusalém tenha sido mal sucedido (2 Rs 16: 5, 6; 2 Cr 28:5). Neste momento de aparente sucesso para Damasco, a destruição da cidade foi prevista por Isaías (8:4; 17:1), Amós (1:3-5) e Jeremias (49:23-27). Acaz de Judá fez uma aliança com os assírios em busca de proteção contra os sírios e Israel (reino do Norte). O rei assírio Tiglate-Pileser III concordou e marchou contra a confederação sírio-israelita. Depois de derrotar Israel, ele atacou Damasco, saqueou a cidade, deport…

Morte na panela

O "homem da iniquidade" de 2 Tessalonicenses 2.3

O "homem da iniquidade" de 2 Tessalonicenses 2.3 certamente não é o anticristo porque os únicos quatro versículos que falam do anticristo ou dos anticristos os descrevem como falsos profetas cristãos gnósticos, adeptos do docetismo que negavam que Jesus havia vindo em carne. (1Jo 2.18; 1Jo 2.22; 1Jo 4.3 e 2Jo 7). 
Ainda que não possamos apontar com certeza, é possível que o "homem da iniquidade" seja a "Besta" mencionada no livro de Apocalipse, no caso, o Imperador Nero. Existem 3 referencias no capítulo 2 de 2 Tessalonicenses que indicam que tal sujeito estava por perto na época em que Paulo escreveu a carta: 1) "o que o detém", 2) "já opera" e 3) "aquele que agora o detém". 
Paulo ao escrever aos tessalonicenses, dizendo: "sabeis o que o detém", indica que eles tinham conhecimento de quem se tratava e que tinha a ver com os acontecimentos contemporâneos a eles. Sabemos que Paulo foi condenado a morte por volta do…

A Besta do Apocalipse

A Besta do Apocalipse
Por Bispo Ildo Mello

É comum ver os cristãos dos nossos dias lendo o Apocalipse como uma revelação de coisas que ainda estariam para acontecer, esquecendo-se de que o livro foi escrito há quase dois mil anos e que foi originalmente endereçado aos cristãos das sete igrejas da Ásia Menor que estavam realmente sofrendo terrível perseguição por parte do Império Romano. Parte das revelações diziam respeito a fatos contemporâneos a eles, outras a eventos que aconteceriam ainda naquela geração e, por fim, também encontramos revelações de coisas que só se cumprirão por ocasião da Segunda Vinda de Cristo. Portanto, antes de ser uma mensagem de Deus para nós aqui e agora, foi mensagem de Deus para eles, lá. Compreender o contexto daquelas igrejas do primeiro século e procurar interpretar a mensagem do Apocalipse a partir da ótica dele facilitará em muito a nossa compreensão do significado de figuras de linguagem como, por exemplo, a da Besta.

Vamos começar examinando a…

Quem é o anticristo?

Descubra, em poucos minutos, tudo o que a Bíblia ensina sobre o anticristo.


Os únicos quatro versículos bíblicos que falam do anticristo ou dos anticristos, os descrevem como falsos profetas cristãos daquela época, que eram gnósticos, adeptos do docetismo e que negavam que Jesus havia vindo em carne. (1Jo 2.18; 1Jo 2.22; 1Jo 4.3 e 2Jo 7). Portanto não devemos confundir a Besta ou o Homem da Iniquidade com o Anticristo.

A Mulher, o Filho e o Dragão de Apocalipse 12 - Palestra

A mulher e o Dragão de Apocalipse 12

A mulher e o Dragão de Apocalipse 12
Por Bispo Ildo Mello
Quem é a Mulher? 


A mulher de Apocalipse 12 representa tanto Maria como também o povo de Deus, a comunidade composta pelo remanescente fiel de Israel, tanto do Antigo como do Novo Testamento.
É uma figura de Maria, cuja dores de parto foram agravadas pela exaustiva viagem e pela dificuldade em encontrar um lugar para dar à luz, restando se conformar que fosse em um lugar tão inóspito quanto um estábulo. Sabemos também que é o filho de Maria, Jesus Cristo, o Messias destinado a reger toda a terra, e que, ao nascer, foi ele perseguido pelo sanguinário rei Herodes (Mt 2:1-15), representante oficial do Dragão que é uma figura de linguagem para o poderio maligno de Roma, conhecida como cidade das sete colinas, cujo Império abrangia dez províncias (Acaia, Gália, África, Germânia, Ásia, Itália, Bretanha, Espanha, Egito e Síria), tudo sob o domínio do Príncipe deste mundo que é Satanás, o Dragão, a antiga serpente.
E esta mulher rep…

VEJAM SÓ! - Como entender o Capítulo 12 de Apocalipse, e as ações daquel...

O que significa fazer violência ao reino e se apoderar dele pela força?

O que Jesus quis dizer com a frase abaixo, que é tão difícil de entender?“E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao Reino dos céus, e pela força se apoderam dele.” (Mateus 11:12) 
Violência aqui não significa violência contra os adversários, pois Jesus nos ensinou a dar a outra face e a amar até mesmo os nossos inimigos. Não significa também a violência dos inimigos contra o Reino de Deus, porque em Lucas 16:16,  temos uma declaração semelhante, onde tal interpretação não seria possível, pois ali se lê: “A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele.” (Lc 16.16).   O pensamento parece ser: "... apenas o homem em quem a violência da devoção supera e derrota a violência da perseguição entrará finalmente no Reino dos Céus“. O que é capaz de negar-se a si mesmo, carregar sua cruz, que prioriza o Reino e é capaz de deixar as redes, e que luta por entrar pela porta…

O maior milagre de Jesus e suas lições

Sobre a ressurreição de Lázaro (João 11).

O Cristão e o Carnaval

De um modo em geral, carnaval é a festa que dá vazão aos apetites carnais, promovendo excessos de todo tipo, como gula, embriaguez e orgias sexuais, que afetam a dignidade humana, além de resultar em um significativo aumento nos casos de doenças sexualmente transmissíveis e de gravidez indesejada, sem falar nos casos de infidelidade conjugal que terminarão em divórcio. Há também um espantoso aumento do uso e abuso de álcool e drogas nos dias de carnaval, gerando inúmeros casos de intriga, violência e mortes nos salões, nas ruas e no trânsito. Mulheres nuas, homens fantasiados de mulher ou de bebê com frauda e chupeta, pessoas com fantasias diabólicas e medonhas, um descalabro total que promove tudo o que é ridículo, estúpido, leviano, vergonhoso e extravagante. Uma festa que costumeiramente termina em amargas cinzas.

No passado, as máscaras de carnaval serviam para ocultar a identidade daqueles que queriam cair na folia sem comprometerem sua imagem pública, enquanto que, para agravar…

É Bíblica a doutrina da Perfeição Cristã ou Inteira Santificação?

Que lugar Jesus ocupa na sua vida?

A centralidade de Cristo

Baseado no primeiro capítulo do livro "Manifesto Jesus, restaurando a supremacia e soberania de Jesus Cristo" de Leonard Sweet e Frank Viola.

Consequencias do Pecado Original e a Redenção em Cristo (Gn 3)

Consequências do Pecado Original e a Redenção em Cristo (Gênesis 3)
Por Bispo Ildo Mello
Por que há tanta maldade, injustiça e desgraça no mundo? Qual é a causa de tanta angustia, sofrimento e miséria? O capítulo 3 de Gênesis nos ajuda a entender o drama atual, pois descreve o pecado original e suas terríveis conseqüências para toda a criação. Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, mas o homem pecou e decaiu deste estado de retidão e gerou filhos à sua imagem e semelhança, agora maculada pelo pecado. Portanto, nascemos com a imagem de Deus corrompida em nós, como verdadeiros escravos do pecado, em um estado de rebelião contra Deus, que trouxe alienação, vergonha, culpa, medo e morte física, espiritual e eterna. Mas, o mesmo texto também diz que Deus foi ao encontro do homem não apenas em juízo, mas também em misericórdia, cobrindo a vergonha e profetizando a redenção!
Consequências do pecado
Satanás promete vida, divinização, poder e glória através do pecado (Gn 3.4,5), mas o pec…

A Minha graça te basta!

O que Jesus quis dizer com a frase: "os filhos do mundo são mais hábeis na sua própria geração do que os filhos da luz"?

O que Jesus quis dizer com a frase: "os filhos do mundo são mais hábeis na sua própria geração do que os filhos da luz"? (Lc 16.8b).

Com esta frase Jesus conclui a parábola do administrador infiel (Lc 16.1-8). Uma parábola costuma possuir apenas uma lição central, não contendo, portanto, uma lição em cada detalhe. O elogio do Senhor se restringe a atitude precavida do administrador em cuidar de seu futuro e não ao seu ato ilícito. Os filhos deste mundo revelam mais preocupação e habilidade em cuidar do seu bem-estar terreno do que os filhos da luz em cuidar dos assuntos eternos, agindo neste mundo de modo a acumular tesouros nos céus.