segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

A Ressurreição de Cristo e a Missão da Igreja

(Autor: Bispo José Ildo Swartele de Mello)

Jesus ressuscitou. A ressurreição é, por excelência, a mãe de todas as transformações.i Pois fala do tremendo poder do Espírito de Deus de produzir mudança da morte para a vida. A morte não tem a última palavra. O Evangelho é boa notícia de esperança e vitória sobre o mal no mundo.

Jesus, ressuscitado, declarou que tinha todo o poder no céu e na terra e enviou os seus discípulos ao mundo com a Missão de fazer discípulos em todas as nações do mundo (Mt 28.19-20). Jesus, após sua ressurreição, passou 40 dias ensinando aos seus discípulos acerca do Reino de Deus (At 1.3), o que revela a importância do tema do Reino para o Cristo Ressuscitado.

A ressurreição de Jesus ensina que Deus tem a última palavra. É o Triunfo do amor e da vida. Ef 1.15ss. Cumprido, tudo está debaixo dos seus pés. Exaltado sobre todos. Na ressurreição de Jesus já foi manifesto o seu poder universal. Ele ora para que este mesmo poder se manifeste nos seguidores de Jesus Cristo. Rm 8. Deus submeteu todas as coisas a Cristo e o deu como cabeça de todas as coisas a Igreja. A Igreja é esta comunidade que reconhece que Jesus é o Senhor de todos e que vive para servir a Deus neste mundo, continuando a missão daquele que é o cabeça.



iMyers, Bryant L. Caminar con Los Pobres. Manual teórico-prático de desarrollo transformador. Buenos Aires: Kairós. 2002. P. 39.





2 comentários:

  1. Nobre Bispo,
    Tenho a impressao que, no ministerio de Jesus Cristo, alguns milagres que Deus operou, no VT, é repetido em uma escala similar ou maior, como um grande testemunho de que Jesus verdadeiramente era o Messias.
    Posso citar, como exemplo:
    1 - A multiplicaçao de pães, realizada por Eliseu;
    2 - Os quarenta dias de jejum no deserto, como ocorreu com Moises e Elias;
    3 - A ressurreiçao do filho da sunamita, atraves do profeta Eliseu; e
    4 - A restauraçao da lepra de Naamã, atraves do profeta Eliseu.
    Assim sendo, a passagem que fala de um terremoto, por ocasião da morte de Cristo, no qual corpos de santos sao ressuscitados e, depois da ressurreiçao d'Ele, entram em Jerusalém (Mateus 27:51-53), parece se tratar, tao somente, de um evento semelhante ao que està registrado em 2 Rs 13:21, quando um homem morto é lançado na sepultura de Eliseu, e, ao cair nela e tocar os ossos de Eliseu, o homem reviveu e se levantou sobre os seus pés.
    A meu ver, tais pessoas ressurretas, de Mateus 27: 51-53, viveram por um tempo determinado e, depois que testificaram a respeito do poder de Deus e do Seu Cristo, eles morreram novamente e foram sepultados, exatamente como ocorreu com o homem que ressuscitou na ocasiao registrada em 2 Rs 13:21.
    Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Marcelo! Muito bem observado! Concordo plenamente! Muito obrigado por sua preciosa colaboração! Valeu!

      Excluir