segunda-feira, 15 de abril de 2013

Em busca das mulas perdidas

Saul era um jovem de família humilde, quando se extraviaram as mulas de seu pai. Ele, como filho responsável e obediente, saiu para buscá-las. Tendo procurado muito, nada encontrou. As mulas eram muito preciosas para ele e sua família, pois delas dependiam para sobrevivência. Foi nesta procura que Saul acaba consultando o profeta Samuel, que lhe anuncia ter sido escolhido por Deus para ser o rei de Israel. Ele perdeu o que tanto buscava, mas acabou encontrando o reino com que nunca sequer sonhara.

Algumas breves considerações sobre este episódio narrado no capítulo 9 de 1 Samuel:

  1. Um grande homem se levanta a partir de um pequeno e modesto começo. E um grande evento surge de pequenas ocorrências. Saul foi fiel no pouco, portanto, sobre o muito foi colocado (Lc 19.17), não por obra do acaso, mas por obra e graça de Deus que tudo vê.
  2. Deus exalta os humildes (Pv 3.34);
  3. Devemos confiar na providência divina.
  4. Os planos e os caminhos e os pensamentos de Deus são muito mais elevados do que os nossos (Is 55.9)
  5. Muitos buscam a Deus para solução de seus problemas materiais e acabam encontrando em Deus coisas muito mais excelentes, como o Reino de Deus e a vida eterna.
  6. O triste é imaginar que os homens de Deus seriam muito mais procurados se a especialidade deles, em vez de salvar almas, fosse salvar mulas, tal é o cuidado dos homens pelas coisas materiais (1 Co 15.19). 
  7. Observa-se que, no final, as mulas também foram encontradas (10.2). Deus tem prazer em nos socorrer em nossas necessidades temporais, mas devemos buscar em primeiro lugar o Reino de Deus (Mt 6.33). É até razoável a busca por tesouros terrenos enquanto não se conhece o supremo tesouro. Mas uma vez que nos deparamos com o inestimável tesouro, não pode haver lugar para outro em nosso coração (Mt 13.44; 6.21; Dt 6.5).

Bispo José Ildo Swartele de Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário