Como começar bem o ano


No primeiro domingo do ano de 1980 eu entreguei minha vida a Jesus. Não que eu não fosse um cristão até então, pois eu lia a Bíblia e orava cotidianamente, o problema é que eu seguia a Cristo à distância, semelhante a Pedro por ocasião da prisão de Jesus (Lc 22.52). Quem segue a Jesus de longe acaba caindo em muitas tentações, chegando a ponto de até mesmo negar que conhece a Jesus (Lc 22.56-61).

Eu cria em Cristo, mas não me entregava a ele de corpo e alma. Eu o seguia à minha maneira, mantendo uma distância segura para preservar minha pele, meus sonhos, meus planos, meus alvos, meus prazeres, enfim, meu ego, pois eu queria continuar sendo o regente inconteste da minha existência.

Naquela oportunidade eu também mantinha distância da Igreja. Embora eu soubesse que Jesus havia instituído a Igreja e delegado a ela a incumbência de dar sequencia a sua grande missão, tal consciencia foi diminuindo com o passar do tempo, de modo que eu fui largando mão da Igreja, me esquecendo de que ser batizado em Jesus é também ser batizado no Corpo de Cristo que é a Igreja (1 Co 12.13). Então, eu fui desenvolvendo um jeito peculiar de ser cristão, um estilo individualista, apartado da igreja, como um ilha está separada do continente. De maneira que a minha situação era bem pior que a de Pedro. Pois o erro de Pedro foi ter seguido a Jesus de longe naquele fatídico dia, o que não era o costume dele, pois Pedro estava sempre seguindo a Jesus de perto e também fazia parte do grupo mais seleto de seguidores de Cristo. Embora a igreja esteja cheia de imperfeições, a Bíblia ensina que Jesus "amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra" (Ef 5:25-26). Em vez de ficarmos do lado de fora, criticando a igreja por conta dos iscariotes que há nela, devemos nos unir a Cristo, aos pedrosjoãos e tiagos que sinceramente trabalham em favor do aperfeiçoamento da igreja, pois ela cumpre um papel vital no plano de Deus para este mundo.

Então, eu precisava despertar para o fato de que não podia continuar negando a Cristo e a sua Igreja. Eu precisava assumir o meu cristianismo. Eu precisava negar a mim mesmo para poder carregar a minha própria cruz. Eu precisava confiar em Cristo a ponto de entregar a minha alma, minha vida e meu futuro em suas mãos. Eu precisa abandonar o meu estilo de seguir a Jesus, para segui-lo à sua maneira e não à minha. Eu precisava confessar que estava amando mais a mim mesmo do que a Deus. Eu precisava também reconhecer que o estava negando quando não o confessava publicamente como Senhor da minha vida até mesmo por motivo de vergonha da opinião dos outros ou porque não queria me identificar com ele para seguir vivendo à vontade com meus pecados.

Foi aí que eu decidi seguir a Jesus de perto! Decidi ser discípulo de verdade e não apenas um mero crente ou cristão. Eu assumi um compromisso com Jesus e com a Sua Igreja. Comecei a frequentar a Igreja, mais que isto, eu me tornei parte da Igreja de Cristo! Fiz um pacto com Deus, passando a levar a sério o meu batismo. Ou seja, eu passei a viver o meu batismo cristão. Foi aí também que eu experimentei uma libertação! Jesus tomou o fardo do pecado que estava sobre as minhas costas! Que alívio! Eu experimentei o céu na terra! Uma alegria indizível! A certeza de que estava perdoado e de que minha vida e futuro estavam nas mãos do ser mais poderoso e bondoso de todo o Universo. Jesus se tornou o meu melhor amigo. Eu abri a porta do meu coração para ele habitar (Ap 3.20). Eu reconheci que ele é o legítimo Rei e me submeti alegre e confiadamente ao seu senhorio!

Lá se vão 33 anos de experiência tendo Jesus como comandante da minha vida e posso afirmar que aquela foi a decisão que mudou o curso da minha história para melhor em todos os sentidos. Desde então, eu tenho provado do cuidado bondoso de Deus e desfrutado da companhia real e transformadora de Cristo. Vale a pena entregar a vida a ele. Se ainda não o fez, comece o ano tomando a decisão que mudará o rumo de sua vida terrena e eterna.

Um abençoadíssimo 2013 na presença de Jesus!

Bispo Ildo Mello


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

Lições extraídas da história de Mefibosete