Será mesmo que Deus quis assim?


Será mesmo que Deus quis assim?



Será mesmo que Deus quis assim?
José Ildo Swartele de Mello


Reflexão sobre soberania de Deus e a liberdade humana.
Em favor de uma ação proativa regada por muita dependência de Deus e que nos livre da acomodação e do fatalismo de um lado e da autossuficiência presunçosa de outro.
É muito comum hoje me dia, mas muito comum mesmo, você ouvir uma pessoa falando para a outra, coisas desse tipo: não se preocupa não, a vontade de Deus vai acontecer; foi Deus que quis assim - quando algo já aconteceu. Não podíamos evitar? O que fazer agora, a não ser nos rendermos aos desígnios de Deus? Já estava escrito! Não é muito comum frases dessa natureza?

A questão que a gente levanta agora é: será que estas frases se aplicam a todos os casos? Será que tudo, absolutamente tudo que acontece é vontade de Deus? Será que a vontade de Deus se cumpre automaticamente nas nossas vidas? Na nossa história, de modo que, não importa o que aconteceu, não importa o que vai acontecer - tudo é vontade de Deus. Será? - E aí? Pára pra pensar.
Quanta gente, mas quanta gente mesmo não está acomodada, não está se escondendo, escondendo o seu medo, escondendo a sua preguiça atrás da celebre frase: “Deus quis assim”! Mas pense bem, será que poderia ter sido diferente?

Por que é que Jesus Cristo nos ensinou a orar: “venha a nós o teu Reino, seja feita a tua vontade aqui na terra, assim como ela é feita no céu”? Se a vontade de Deus fosse algo que se estabelecesse, que acontecesse de maneira automática, por que é que nós precisaríamos orar, pedindo a Deus que sua vontade se realize? Por que razão teria Jesus ensinado seus discípulos a pedirem que o Reino de Deus viesse a eles se tudo o que acontece, fosse, afinal de contas, fruto, produto da vontade de Deus?
Por que é que teríamos que buscar em primeiro lugar o Reino de Deus? E por que se faria necessário inúmeras exortações para que façamos a vontade de Deus? Para que tantos discursos convocando e conclamando o povo ao arrependimento, a obediência, a busca da vontade de Deus, se a vontade de Deus fosse uma coisa que acontecesse sempre? A gente não precisaria nem buscar! A gente não precisaria nem se preocupar com essas coisas! Pois toda a vontade divina estaria predeterminada a acontecer de um jeito ou de outro. Neste caso, nós não passaríamos de marionetes nas mãos do Criador ou atores a desempenhar um papel previamente escrito. Mas, se Jesus nos ensinou a orar pedindo, clamando e buscando a vontade de Deus, é porque, se não o fizermos, o resultado será diferente. Ou seja nossa ação é bastante relevante neste processo de construção do futuro.
Era a vontade de Deus ou não era de que Adão e Eva morassem num paraíso? Mas, por desobediência, Adão e Eva foram expulsos do paraíso. – Foram expulsos por que Deus quis assim? Foi este o plano original de Deus? Foi para isto que Deus criou Adão e Eva? Os criou para pecarem? Os criou para a desobediência? Os criou para um dia os expulsarem do paraíso? Reflita sobre isto. Poderia ter sido diferente! – Mas foi? – Não! Era vontade de Deus que uma coisa acontecesse - que eles vivessem no paraíso em obediência a Deus, desfrutando da comunhão com Deus e com toda a criação. Mas, entrou o pecado, entrou a rebelião.
Não era da vontade de Deus, também, que povo hebreu, que foi liberto, milagrosamente do Egito, entrasse em Canaã e possuísse a Terra Prometida? Era ou não era a vontade de Deus? E o povo entrou? – Com exceção de Josué e Calebe, todo o povo pereceu no deserto por causa do pecado.
Não era a vontade de Deus que Moisés entrasse na Terra Prometida? – Era, mas, Moisés também cometeu um pecado, que o impediu de entrar.
Era vontade de Deus, que o Templo fosse destruído, que Jerusalém fosse queimada e que milhares morressem e outros tantos fossem escravizados? Ah, jamais foi vontade de Deus algo horrendo assim. Mas isso aconteceu em decorrência das decisões humanas, contrariando a vontade de Deus.
Foi vontade de Deus a Primeira e Segunda Guerras Mundiais? As mortes, os assassinatos?  É vontade de Deus que alguém repita de ano? É vontade de Deus que alguém passe miséria? É vontade de Deus que alguém se prostitua?  É a vontade de Deus que as pessoas estejam nas drogas? É a vontade de Deus que as pessoas estejam distantes, cada dia mais distantes de Deus?
Muitas vezes professamos: Deus existe! Mas vivemos como se ele não existisse. Ignorando a sua palavra, ignorando as Escrituras Sagradas. Por falar nas Escrituras, é vontade de Deus que você leia a Bíblia ou não? É vontade de Deus que você conheça e maneje bem a palavra da verdade ou não? Mas, quantos de nós conhecemos a Bíblia como a palma de nossa mão? Quantos de nós valorizamos as Escrituras Sagradas? Então, aquilo que muitas vezes é vontade e propósito de Deus para as nossas vidas, encontra em nós mesmos impedimento e obstáculo para se cumprir. A vontade de Deus, e nós sabemos muito bem, não se realiza instantânea e automaticamente no mundo. Nem mesmo nas nossas vidas.
Dois perigos: A autossuficiência de um lado; acomodação do outro. Os crentes vivem sempre correndo o risco de cair em um desses pecados.       
Tem um texto maravilhoso que diz: “(...)  se o SENHOR não  guardar,   em  vão  vigiam  as  sentinelas" (Sl 127:1). Esse texto é muito equilibrado, de modo a ajudar a gente a ficar longe do perigo da autossuficiência, achando que tudo depende de nós, ou seja, que agora é tudo por nossa conta e risco. Que nós não precisamos de Deus. Que nós não dependemos de Deus, mas somente de nossa capacidade, instrução, esperteza, sabedoria, habilidade, experiência, contatos, recursos e bens materiais. De tudo aquilo que amealhamos em termos de cultura, de saber, de relacionamentos. Mas, na verdade, não dependemos destas coisas e nem de nós mesmos. "Nossa suficiência vem de Deus!". Precisamos ser humildes para reconhecer que não estamos com esta bola toda, tipo, "eu faço e aconteço" e que não somos senhores do nosso próprio destino. Então, tem muita arrogância, muita petulância, muita autossuficiência. Muita gente se achando. Muita gente desprezando a ajuda do Senhor. Muita gente está estribada no seu próprio conhecimento, no seu saber, nos seus recursos e em tudo o que domina. Esse é um perigo. E para esse perigo tem um versículo: "se o Senhor", sim, "se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os operários. Se o Senhor não guardar, em vão vigiam as sentinelas". E, depois diz: não adianta acordar de manhã cedo. Deitar tarde. Trabalhar, dar um duro danado. Nada do esforço humano redundará em algum fruto se não houver a benção de Deus. Isso é uma rasteira na nossa autossuficiência. Dependemos da ajuda de Deus: "Se não fora o Senhor que esteve ao nosso lado, ora diga Israel!" (Sl 124).
Agora, tem um outro perigo é o da acomodação oriunda de um conceito fatalista, que atribui tudo aos desígnios de Deus. A gente diz assim: "Ah, a gente depende mesmo é da proteção do Senhor. Não é mesmo? Então, nem vou trancar a porta de casa. Nem vamos ter de vigiar. E nem precisamos de guarda na rua". Esse não seria o outro extremo? O extremo da acomodação. – Ah, deixa tudo por conta de Deus! A vontade de Deus vai se cumprir automaticamente. O Senhor guarda automaticamente.  Tem gente que pensa assim. - Eu não preciso fazer nada, Deus vai fazer tudo por mim!

Os preguiçosos e acomodados costumam se deleitar com o texto que diz que aqueles que são de Deus, que são amados por Deus, recebem bênçãos mesmo quando estão dormindo (Sl 127.2) Aí, os acomodados abrem aquele sorriso e falam assim: "não preciso nem trabalhar. O negocio é dormir, pois quanto mais eu durmo, mas Deus me abençoa". Este é um grande equívoco, mas tem gente que lê a Bíblia muito mal. Tem gente que é analfabeto em Bíblia. Aliás, tem gente que lê a Bíblia de maneira seletiva, como uma caixinha de promessas - “vamos ver o que Deus tem pra falar comigo hoje”. Então, abre em qualquer lugar, começa a ler e diz - “não, isso não pode ser”. E segue procurando até achar alguma coisa que julga interessante para si; – “Oh! Senhor, obrigado!... Agora sim, o Senhor está falando comigo! Esta, sim, é palavra de Deus para mim. Já, aquela lá era Palavra de Deus para o meu vizinho chato".- “Aqui está uma Palavra de Deus boa para a irmã Maria ou para o irmão João, sim, eles é quem precisavam ouvir isto”.  Então, essa maneira de ler a Bíblia é muito complicada.

Precisamos entender o que o texto bíblico quer nos comunicar. O Salmo 127 não é um convite a preguiça. A questão é a seguinte: tem gente que não guarda o dia do Senhor. Tem gente que trabalha de domingo a domingo. Tem gente que não tem parada. Tem gente que é workaholic, ou seja, um viciado em trabalho. Tem gente que acha que tudo depende dele, como certo pai de família que diz: “Ah, vocês ficam orando aí, mas quem traz o pão pra dentro de casa sou eu”. Muito arrogante achar que Deus não tem participação nenhuma no processo. Este espírito petulante de autossuficiência acaba distanciando o homem de Deus e leva ao estresse e ao esgotamento físico e emocional. 

Deus vai abençoar a gente até no dia do nosso descanso, porque a vida do cristão precisa ser uma vida equilibrada, com pausa para descanso semanal. A cada sete dias um é de descanso. Um é consagrado especialmente ao Criador. Um é dedicado para adorar a Deus. Um dia para eu declarar que não dependo única e exclusivamente do meu esforço, do meu trabalho da minha competência, eu dependo de Deus, eu honro a Deus nesse dia. E não preciso sacrificar minha hora de descanso para ser bem sucedido. Posso dormir adequadamente confiando na providência divina. Eu descanso no Senhor. Deus está abençoando a gente de noite. Já está cuidando dos nossos negócios. Já está indo à frente. Como diz o Salmo 46, o Senhor se antecipa, providenciando socorro para os desafios do dia mesmo antes do sol nascer. 

"Se o Senhor não guardar, em vão vigiam as sentinelas", mas a sentinelas precisam estar em seus postos fazendo a sua parte. Nossa própria ação de plantar e edificar se dá na certeza de que nosso trabalho não é vão no Senhor, pois ainda colheremos os frutos do nosso penoso trabalho. Deus não abençoa e não recompensa o preguiçoso. Jamais. “Vai ter com a formiga, oh preguiçoso”, diz o Senhor.  Que estória é essa de não estudar e querer passar de ano, de não trabalhar e querer prosperar? 
Meus amados irmãos, o vigia tem que estar acordado na hora do seu turno. Tem que estar em pé, fazendo o seu trabalho, contando com a cooperação de Deus.
Os planos de Deus não podem ser frustrados  - Diz Jó 42.8. – Mas e aí, como é que fica? Se os planos de Deus não podem ser frustrados, então, tudo vai ser como Deus quer que seja?! - Não, não é bem por aí. Pois, devemos considerar o seguinte: 
Não era plano de Deus que o povo de Israel um dia possuísse a Terra Prometida? – Era plano de Deus! – Aquela geração, por desobediência não herdou. Mas somente Josué e Calebe e os descendentes daquela geração herdarão a promessa. Podemos entender que o plano geral de Deus se cumpriu, embora os instrumentos e os meios possam variar. Outra coisa, quando Deus libertou o povo do Egito, o caminho e a trajetória até Canaã era uma trajetória relativamente curta, mesmo com uma multidão de mais de um milhão de pessoas, eles poderiam fazer isso facilmente, andando vagarosamente, dando muita pausa, no máximo em dois anos. Mas, devido a incredulidade e desobediência, o povo levou quarenta anos para pisar em Canaã. O propósito de Deus, os planos de Deus não são frustrados, mas os prazos podem
ser alterados. Os personagens podem mudar. Você está entendendo o que eu quero dizer com isso?
Então, há muita coisa em jogo, e a gente tem de parar de ser passivo ou meramente reativo. A gente tem de começar a ser proativo. Deus gosta de gente que toma iniciativa, que toma posição. Que decide, que escolhe. Que busca. “buscar-me-eis”, diz o Senhor, Isaías capítulo 55 e Jr 29.11, “e me achareis, quando me buscardes de todo o coração”.  Está reparando?  - Você já buscou a Deus de todo o coração?  - Você sabe o que é buscar a Deus de todo o coração? - Você acha que vai ser abençoado automaticamente? Diz a Palavra de Deus: “buscar-me-eis e me achareis”, ou seja, Deus se esconde e se revela a quem ele quer, e ele está colocando uma condição para ser encontrado. Quando ele vir que as suas criaturas estão o buscando de todo o coração, ele se manifestará a elas. A bênção de Deus não se derrama no coração do homem de maneira instantânea, de maneira automática. Há muita diferença entre quem obedece e quem não obedece, entre quem busca e quem não busca. Entre Pedro e Judas.
Diz a Palavra de Deus, que é vontade de Deus que nós sejamos cooperadores com ele (1 Co 3.9). Cooperar com Deus é entrar numa parceria com sua vontade. Ele quer que nós façamos determinadas coisas. Ela quer que o vigia, vigie. Ele quer que o trabalhador da obra, trabalhe. Deus não vai construir a casa sozinho, porque Ele, há muito, decidiu que não deveria ser assim! Porque Deus escolheu realizar muitas coisas contando com a cooperação dos homens. 
Quando Deus quer agir através de seu povo, ele busca alguém que se coloque na brecha. Ele busca alguém que seja obediente, alguém que atente para a sua palavra. 
Se queremos ver algo construído, não podemos esperar que esse algo aconteça por um milagre de Deus, instantaneamente, quando Deus nos deu dons e talentos para tanto. Quando recebemos da parte de Deus, inteligência. Quando recebemos da parte de Deus, sabedoria. Técnica. Quando recebemos da parte de Deus, mãos, pernas, boca, olhos. Deus quer que façamos bom uso dos talentos que ele nos concedeu. Deus pedirá conta de cada um dos talentos concedidos as suas criaturas. Quer você goste disso ou não, quer que você creia nisso ou não, você foi criado por Deus, você é criatura de Deus, e recebeu de Deus muita coisa, e Deus vai pedir contas do uso que você tem feito de todas essas ferramentas que ele bondosamente lhe conferiu.  Deus quer que façamos render o nosso talento. Deus quer que nós façamos bom uso dele de modo que venham a se multiplicar em muitos frutos. Não podemos esperar que Deus faça tudo por nós. Deus não quer que seja assim, Deus espera muito de nós. Deus pede muito de nós. Deus conta conosco para muita coisa. O apóstolo Paulo disse, inclusive em relação à pregação do Evangelho: "todo o que invocar o nome do Senhor, será salvo, mas como invocarão o nome de alguém de quem eles não têm o menor conhecimento; como creram, se não há quem pregue? E como pregarão se não forem enviados?" (Rm 10).
O desejo de Deus é que as pessoas sejam salvas, mas muitas pessoas não são salvas porque nós somos negligentes. Porque a nossa boca está calada. Porque o nosso testemunho é fraco. Porque estamos esperando que as pessoas se convertam automaticamente - como se isso fosse um problema exclusivo de Deus? - Não, isso é problema nosso! – nós somos colocados nesse mundo como testemunhas de Cristo, e se nós testemunharmos para alguém - podemos salvar a vida desse alguém. Pode ser que esse alguém, mesmo diante de nosso testemunho, venha a fechar o seu coração. Aí o problema não é mais nosso, é problema dele com Deus, pois nossa parte foi feita. Mas, ai de nós se não fizermos a nossa parte. Ai de nós se pecarmos por negligência, porque Deus não vai vir do céu para converter quem quer que seja, ele enviou a cada um de nós como suas testemunhas. Está entendendo? - Somos cooperadores de Deus. Isto implica numa sinergia, em uma participação conjunta. 

Será mesmo que tudo o que aconteceu com a gente foi vontade de Deus? Quando a gente para, para olhar com mais cuidado, talvez a gente reconheça que poderia ter sido diferente se a nossa atitude tivesse sido outra. Talvez olhando assim, com mais cuidado, a gente possa aprender lições para não incorrermos em erros que venham a detonar o nosso futuro. Tem gente que pensa assim: meu negócio é apenas esperar em Deus. Este precisam ouvir o que diz o profeta Isaías a respeito do que realmente significa esperar no Senhor, algo que nada tem a ver com passividade, pois envolve ação de nossa parte, como andar, correr e até voar: “os que esperam no SENHOR renovarão as forças” (Is 40.31). A gente pensa que espera no Senhor é ficar de braços cruzados. A gente às vezes pensa que esperar no senhor é ficar lá dormindo. Tem uns que pensam que esperar no senhor é ficar parado, estático, esperando que Deus faça tudo sozinho; quando ele quer formar uma parceria conosco. Quando ele conta com a nossa cooperação. Quando a Palavra de deus diz que nós somos cooperadores de Deus. 
Diz o profeta Isaías que esperar no Senhor é tudo, menos passividade. É tudo, menos inatividade. É tudo, menos preguiça, menos acomodação. Sabe o que ele diz que fazem os que esperam no Senhor? Os que esperam no Senhor voam, sim, voam! Sabe o que é voar? Voar implica em movimento. Os que esperam no Senhor voam como águia! Correm como jovens e não se cansam. Andam e não se cansam. Andam, correm e voam! Não estão parados. Devemos fazer a nossa parte, o que está ao  nosso alcance. A sentinela deve estar a postos para vigiar contando com a proteção divina.  Deus não vai fazer aquilo que nós mesmos podemos fazer, ele espera que nós façamos, que nós tenhamos atitude, que nós tenhamos coragem, que nós tenhamos confiança, que nós nos esforcemos, confiados no seu cuidado, esperando na sua provisão, como alguém que planta com dificuldade, arando e cultivando a terra, na esperança de que a chuva virá, de que as condições climáticas serão favoráveis para que chegue o dia da grande colheita porque sem a bênção de Deus, em vão será todo aquele sacrifício. 
Há uma esperança. Há um esperar em Deus que nos leva a ação. Eu ser bem sucedido nesta área profissional, por isso me esmero, por isso eu me preparo, por isso eu vou adiante. Eu espero, mas eu não espero sentado, eu não espero dormindo, eu espero andando, eu espero correndo, contando com a graça de Deus. Eu espero que o meu lar seja uma bênção, mas no que depender de mim, eu vou agir para que seja. Eu não vou esperar que a pessoa ao meu lado mude, eu vou ver seu eu posso mudar antes, se alguma coisa em mim pode ser mudada. Eu não vou esperar que meus filhos mudem, quando eu preciso olhar pra mim, para ver se eu posso mudar em alguma coisa para o bem do desenvolvimento deles. Eu não vou esperar que o mundo mude ao meu redor, quando as mudanças que eu posso produzir, as maiores, são aquelas que começam em mim mesmo.
Tem a teologia do Zeca Pagodinho que diz "deixa a vida me levar, vida leva eu", mas, eu gosto mais da do Geraldo Vandré, que canta "quem sabe faz a hora, não espera acontecer"! E Deus gosta dessa atitude, sabia?  Está olhando pra você. Coragem! "Sê forte e corajoso!" Levanta! faça a obra de um evangelista! Seja uma bênção na tua casa! 
O seu futuro não está escrito, você pode escrever com Deus uma linda história. Você não é uma tabula rasa, não é um mero produto do meio e nem um objeto passivo das determinações divinas, Deus deseja que você interaja com ele para a construção de seu futuro e para a transformação do mundo ao seu redor. Você com a ajuda do Senhor pode edificar algo bonito, “porque de Deus somos cooperadores” (1 Co 3.9).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

Lições extraídas da história de Mefibosete

A Igreja passa pela Grande Tribulação?