Seria Deus o autor do mal?

O calvinista afirma que Deus decretou tudo o que acontece no universo, de modo que cada ato de estupro, incesto, pedofilia, roubo, violência, assassinato, adultério e injustiça teria sido meticulosamente planejado e ordenado por Deus desde a eternidade para serem estritamente executados por seres humanos que não passariam de marionetes em suas mãos.

No entanto, enquanto um calvinista tem a coragem de ensinar que Deus teria planejado e ordenado os atos bárbaros dos hebreus que foram capazes de sacrificar seus filhos no altar de Baal, o próprio Deus, por sua vez, defendendo-se desta insana acusação, diz que estes tais “construíram nos montes os altares dedicados a Baal, para queimarem os seus filhos como holocaustos oferecidos a Baal, coisa que não ordenei, da qual nunca falei nem jamais me veio à mente”. (Jeremias 19:5 NVI).

"Esta é a mensagem que dele ouvimos e transmitimos a vocês: Deus é luz; nele não há treva alguma." (1 Jo 1.5).

A questão do mal no mundo é difícil de ser compreendida. Muitos perguntam: “Se Deus é Onipotente, santo e bom, por que existe o mal no mundo?” Bem, sabemos que Deus não é o criador do mal. Tudo o que Deus fez era bom como nos ensina Gênesis 1:31 “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia”. E Eclesiastes 7:29 diz: “Eis o que tão-somente achei: que Deus fez o homem reto, mas ele se meteu em muitas astúcias.”


Deus poderia ter criado todas as coisas programadas para darem certo. Poderia ter criado os anjos e os homens como robôs, programados para obedecerem, incapazes de se rebelarem. Mas as expressões de amor, louvor, devoção e serviço destes seres seriam artificiais e “sem graça”, ou seja, sem significado real. Deus, em sua soberania, resolve criar seres angelicais e humanos com o atributo do livre-arbítrio, mesmo ciente das conseqüências: surgimento do pecado, crimes, doenças, guerras, fome, tristeza, etc… É um preço alto a se pagar, mas vale a pena a fim de que muitos dentre todos os homens livres possam, no decorrer da História humana, ser resgatados por terem acolhido a promessa e amado a Deus sobre todas as coisas. Ninguém pode ser livre só para obedecer. Liberdade implica em opção e escolha.


Que Deus respeita o livre-arbítrio humano é claramente visto em Jeremias 13.11: "Assim como um cinto se apega à cintura de um homem, da mesma forma fiz com que toda a comunidade de Israel e toda a comunidade de Judá se apegasse a mim, para que fosse o meu povo para o meu renome, louvor e honra. Mas eles não me ouviram”; E também em Mateus 23.37: "... Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram".


Neste mundo, assim como Jó, todos nós estamos sendo provados e experimentados na questão do grande mandamento: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento” (Mateus 22:37). Observe que a grande questão do livro de Jó está relacionada a pureza e a lealdade do amor de Jó por Deus, como vemos na dúvida lançada por Satanás: “Então, respondeu Satanás ao SENHOR: Porventura, Jó debalde teme a Deus? Acaso, não o cercaste com sebe, a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste, e os seus bens se multiplicaram na terra. Estende, porém, a mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face” (Jó 1.9-11). Temos muitas opções, somos livres para escolher, portanto, quando amamos a Deus e respondemos positivamente ao seu chamado, isto é cheio de significado. Este relacionamento entre Deus e o homem é cheio de afeto. É algo tremendo!

Portanto, Deus criou tudo perfeito, o mal no universo existe como uma perversão dos seres angelicais e humanos, e que só pode ser entendido dentro do propósito último de Deus.

Bispo José Ildo Mello

Comentários

  1. Paz Bispo Ildo Mello. No meu vê tudo parte do criador. Antes de ser consumado o pecado, Deus diz pra Adão, de todas as árvores do jardim poderás comer livremente, mas da árvore do conhecimento do bem, e do mal, não comerás. Por trás de tudo isso tem um mal, ou então porque Deus esta alertando e orientando Adão?. Satanás é o criador do mal então?. entendo o Calvinismo e prefiro aceitar essa linha de pensamento. Bispo Ildo gosto mt dos seus comentários acerca do amilenismo e pós tribulacionismo a nossa única diferença fica em 1%.pois vc e Arminiano, e eu, sou Calvinista. mas vamos passar a eternidade toda com Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Jonas! Bom saber que compartimos da mesma visão escatológica. Quanto a questão da origem do mal, sabemos que em Deus não reside mal algum. O mal surge em decorrência da rebelião angelical e humana que só foi possível por conta de algo muito bom que Deus conferiu a eles: a liberdade de escolha. Entendo que é um gravíssimo erro responsabilizar a Deus pelos males que há no mundo como o faze os calvinistas, a exemplo do mais famoso deles atualmente, John Piper que teve a coragem de afirmar que "Deus planejou, ordenou e governou os ataques as Torres Gêmeas em 11 de Setembro de 2001". (Sermão: “Why I do not say, ‘God Did not cause the calamity’” 2001); e também que: “até mesmo uma bomba com material radioativo que destrua Mineápolis seria de Deus” (God-centreredness - Sermão na Passion Conference Nashville, 2/’/2005)

      Excluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

Lições extraídas da história de Mefibosete