Pastores, cuidado!

"Serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo" (Lv 10:3). Isto disse Deus a Arão logo após seus filhos, Nadabe e Abiú, terem sido fulminados por terem oferecido fogo estranho no altar de Deus (Lv 10.1,2). Vemos neste episódio que a santidade e o juízo, dela decorrente, começam pelos sacerdotes da casa de Deus. Pastores e líderes cristãos, à semelhança dos sacerdotes levíticos, precisam ser irrepreensíveis (1 Tm 3.2). Paulo explica que o rigor no exame do caráter para a seleção de um pastor é "para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade (1 Tm 3:15).

O Livro de Levítico ensina que as coisas relacionadas a Deus precisam ser devidamente consagradas e realizadas com todo o zelo em sinal de reverencia a santidade divina. Há uma série de normas relacionadas a santidade do templo, dos sacerdotes e do culto, incluindo cuidadosos rituais de purificação, até mesmo para os utensílios do templo, tudo como um testemunho da natureza santa de Deus (Lv 8.10-15). O povo de Deus precisa aprender a fazer distinção entre o puro e o impuro: "E para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo, e para ensinar aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado por meio de Moisés" (Lv 10.10-11).

Santidade em Levítico está ancorada no Senhor, que é santo por natureza. Existem diversos níveis de santidade que são proporcionais a proximidade de Deus. Baseado em sua santidade, Deus santifica o seu povo em contraste com as nações pagãs, santifica o tabernáculo em contraste com o resto do acampamento, e o Santo dos Santos em contraste com as demais dependências do tabernáculo (Ex 26.33; Lv 20:8,26; 21:8; 22:9,16,32).

Os crentes devem separar-se de qualquer coisa que contamine o seu coração. Tal pureza de coração se processa fisicamente, através de como eles tratam os seus corpos físicos (2 Co 7.1) e também espiritualmente, através do arrependimento e confissão de pecados (1 Jo 1.9-2.1), da oração, adoração e da meditação na Palavra de Deus (Sl 119.11; Ef 3.14-19; 5.18-21,26 e Co 3.16). Eles devem santificar-se, porque estão relacionados com Deus, que é inerentemente santo, e que os tem chamado para uma santa vocação pela santificação do Espírito, por meio do sangue remidor de Cristo (1 Pe 1.1-2, 3-23; 1 Jo 1.7).

Neste sentido, os pastores devem servir de modelo exemplar para todo o povo de Deus: "sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza".

No temor do Senhor,

Bispo Ildo Mello

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

Lições extraídas da história de Mefibosete

A Igreja passa pela Grande Tribulação?