quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Encontro da Fraternidade Wesleyana de Santidade - fotos, vídeo e agenda 2013


Fraternidade Wesleyana de Santidade, composta por líderes da líderes das Igrejas Metodista, Holiness, Nazareno, O Brasil para Cristo, Metodista Wesleyana, Comunidade da Graça, Exército de Salvação e Metodista Livre, em reunião realizada na Metodista da Luz na manhã de 28 de Novembro de 2012. Abaixo, mensagem do Bispo Caleb, fotos do evento e a agenda que aprovamos para 2013.


  • Mensagem do Bispo Anderson Caleb:




Agenda para 2013:


16/Fevereiro - Sábado - das 9 às 13 h


Encontro Geral para todos os pastores
  • Igreja Metodista Wesleyana de Vila Nivi
  • Rua Parambú, 82 – Parque Vitória – São Paulo – SP
  • Tel.: 11 2212-1924


18/Abril - Quinta - das 9 às 13 h

Encontro de Líderes da Fraternidade Wesleyana de Santidade
  • Local: Sede da Metodista Wesleyana
  • Rua Ezequiel Freire, 670 - Santana - cep: 02034-002 - São Paulo - SP
  • Fone: (11) 3297.5757


24/Maio - Sexta - das 23 às 6 h

Vigília do Coração Aquecido!

  • Local pretendido a confirmar: Catedral Metodista de São Paulo


Julho

Dia de treinamento para pastores
  • Data e local a serem confirmados


26/Setembro - das 9 às 13 h

Encontro de Líderes da Fraternidade Wesleyana de Santidade
  • Local a ser confirmado (Exército de Salvação?)


7/Novembro - das 9 às 13 h

Encontro de Líderes da Fraternidade Wesleyana de Santidade
  • Local: Igreja Holiness
  • Rua Guiratinga, 980, Bosque da Saúde
  • Fone: 5594-6116


Um grande abraço a todos,

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Manifesto das igrejas históricas contra a corrupção

Manifesto das igrejas históricas contra a corrupção

9 passos para tomar decisões acertadas (Áudio em MP3 e Texto)



9 passos
para tomar decisões acertadas


1. Ore a Deus

Ore. A oração ajuda o processo de tomar decisões. Jesus usou este método antes de escolher os discípulos. “Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus.” (Lucas 6:12)
Ore pedindo a Deus que lhe dê sabedoria: “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos” (Tiago 1:5-8).

2. Examine o que diz a Biblia a respeito
Pare de dar ouvidos a tantas vozes e examine a Bíblia
" Procurai compreender qual é a vontade do Senhor" (Ef 5:17). Pois do Senhor vem a sabedoria e é dEle que vem o conhecimento (Pv 2.6-7)
Tolo é o homem que confia em si mesmo, mas aqueles que se valem da sabedoria divina estão seguros (Pv 28.26)

Pergunte: “O que é que Deus diz a respeito?



3. Examine os fatos
Conheça bem a realidade a sua volta
Encare os fatos
Ouça ambos lados da história. Avalie a situação de todos os ângulos. “O que primeiro começa o seu pleito parece justo; até que vem o outro e o examina” (Pv18:17).
Use a razão e o bom senso.
Não se deixe levar pelos sentimentos e pelo otimismo exagerado
Sentimentos mentem, e você precisa da verdade!
“Todo homem prudente age de acordo com o entendimento” (Pv 13.16)
“Quão estúpido é tomar uma decisão sem conhecer todos os fatos” (Pv 18.13)
“O prudente é cuidadoso para não se meter em encrencas, mas o tolo age de maneira apressada e descuidada (Pv 14.16)
A pressa não é de Deus. Não é Deus quem está te pressionando. Não sinta-se pressionado a tomar uma decisão.
Tenha a mente aberta para novas ideias, busca o entendimento e pondera em oração. “O coração do entendido adquire conhecimento; e o ouvido dos sábios busca conhecimento” (Provérbios 18:15).

Pergunte: “Quais são as reais circunstancias ao meu redor? Conheço todos os fatos? O que preciso saber de Deus a respeito desta questão?


4. Busque conselhos
“planos são bem-sucedidos quando há bons conselheiros; não vá a guerra sem buscar a sabedoria dos conselheiros”(Pv 20.18)
“Sem conselhos, os planos dão errado, mas na multidão dos conselheiros serão bem-sucedidos” (Pv 15.22)
Humildade é irmã da sabedoria
“Quanto mais conselhos você buscar, mais chances terá de ser bem-sucedido!” (Pv 24.6b)
Converse com pessoas que já tiveram que tomar a mesma decisão
Ouça também pessoas que realmente te conhecem e que são capazes de te dizer a verdade a respeito dos perigos e também a respeito de quem você é, se é apto ou não para tal desafio. Isto encaixa no meu perfil? Em outras palavras, se esta é realmente a sua praia.

Pergunte: “Quem pode me dar conselhos?” Pois não temos tanto tempo assim para aprender errando! Portanto, aprenda com a experiência dos outros!


5. Calcule o custo
Uma boa avaliação se faz necessário para evitar surpresas desagradáveis.
Não tenha pressa em tomar uma decisão. Quanto tempo levará não é tão importante quanto o é tomar uma decisão correta.
“É uma armadilha consagrar algo precipitadamente, e só pensar nas consequências depois que se fez o voto” (Pv 20:25).
Toda decisão tem um preço a ser pago: 1) dinheiro, 2) tempo, 3) energia, 4) família
Avalie os prós e os contras

Pergunte: “Vale a pena? Quanto estou disposto a investir e sacrificar por esta causa?”

6. Estabeleça uma meta
“O homem de discernimento mantém a sabedoria em vista, mas os olhos do tolo perambulam até os confins da terra” (Pv 17:24).
“Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade (Pv 4:25-27).
Suas decisões determinam o seu destino. Você se torna naquilo que você se compromete.

Pergunte: “Qual é a minha meta? Que passos devo dar na direção do meu alvo?


7. Prepare-se para as adversidades
“O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as consequências” (Pv 22:3).
Espere o melhor e prepare-se para o pior!

Pergunte: “O que pode dar errado? E o que fazer se isto acontecer?”



8. Enfrente os seus temores
“Quem teme ao homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro” (Pv 29:25).
Todos temos certo grau de receio, pois todo corajoso tem medo, pois coragem não é ausência de medo, mas, sim, conseguir ir adiante a despeito dele.
Diante do chamado, Moisés tentou se esquivar com a desculpa de que era gago, Jeremias com a de ser jovem demais, e Abraão por se considerar muito velho.
Cuidado! O medo pode ser paralisante. “Quem observa o vento não plantará; e quem olha para as nuvens não colherá” (Ec 11:4).

Pergunte: “Quais são os meus temores?



9. Dê um passo de fé
Não fique esperando as coisas acontecerem. Aja! Após todas as considerações anteriores, tome uma atitude confiando em Deus. “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas (Pv 3:5-6).

Pergunte: “Onde preciso confiar em Deus?”







domingo, 25 de novembro de 2012

9 passos para tomar decisões acertadas




9 passos
para tomar decisões acertadas


1. Ore a Deus

Ore. A oração ajuda o processo de tomar decisões. Jesus usou este método antes de escolher os discípulos. “Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus.” (Lucas 6:12)
Ore pedindo a Deus que lhe dê sabedoria: “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos” (Tiago 1:5-8).

2. Examine o que diz a Biblia a respeito
Pare de dar ouvidos a tantas vozes e examine a Bíblia
" Procurai compreender qual é a vontade do Senhor" (Ef 5:17). Pois do Senhor vem a sabedoria e é dEle que vem o conhecimento (Pv 2.6-7)
Tolo é o homem que confia em si mesmo, mas aqueles que se valem da sabedoria divina estão seguros (Pv 28.26)

Pergunte: “O que é que Deus diz a respeito?



3. Examine os fatos
Conheça bem a realidade a sua volta
Encare os fatos
Ouça ambos lados da história. Avalie a situação de todos os ângulos. “O que primeiro começa o seu pleito parece justo; até que vem o outro e o examina” (Pv18:17).
Use a razão e o bom senso.
Não se deixe levar pelos sentimentos e pelo otimismo exagerado
Sentimentos mentem, e você precisa da verdade!
“Todo homem prudente age de acordo com o entendimento” (Pv 13.16)
“Quão estúpido é tomar uma decisão sem conhecer todos os fatos” (Pv 18.13)
“O prudente é cuidadoso para não se meter em encrencas, mas o tolo age de maneira apressada e descuidada (Pv 14.16)
A pressa não é de Deus. Não é Deus quem está te pressionando. Não sinta-se pressionado a tomar uma decisão.
Tenha a mente aberta para novas ideias, busca o entendimento e pondera em oração. “O coração do entendido adquire conhecimento; e o ouvido dos sábios busca conhecimento” (Provérbios 18:15).

Pergunte: “Quais são as reais circunstancias ao meu redor? Conheço todos os fatos? O que preciso saber de Deus a respeito desta questão?


4. Busque conselhos
“planos são bem-sucedidos quando há bons conselheiros; não vá a guerra sem buscar a sabedoria dos conselheiros”(Pv 20.18)
“Sem conselhos, os planos dão errado, mas na multidão dos conselheiros serão bem-sucedidos” (Pv 15.22)
Humildade é irmã da sabedoria
“Quanto mais conselhos você buscar, mais chances terá de ser bem-sucedido!” (Pv 24.6b)
Converse com pessoas que já tiveram que tomar a mesma decisão
Ouça também pessoas que realmente te conhecem e que são capazes de te dizer a verdade a respeito dos perigos e também a respeito de quem você é, se é apto ou não para tal desafio. Isto encaixa no meu perfil? Em outras palavras, se esta é realmente a sua praia.

Pergunte: “Quem pode me dar conselhos?” Pois não temos tanto tempo assim para aprender errando! Portanto, aprenda com a experiência dos outros!


5. Calcule o custo
Uma boa avaliação se faz necessário para evitar surpresas desagradáveis.
Não tenha pressa em tomar uma decisão. Quanto tempo levará não é tão importante quanto o é tomar uma decisão correta.
“É uma armadilha consagrar algo precipitadamente, e só pensar nas consequências depois que se fez o voto” (Pv 20:25).
Toda decisão tem um preço a ser pago: 1) dinheiro, 2) tempo, 3) energia, 4) família
Avalie os prós e os contras

Pergunte: “Vale a pena? Quanto estou disposto a investir e sacrificar por esta causa?”

6. Estabeleça uma meta
“O homem de discernimento mantém a sabedoria em vista, mas os olhos do tolo perambulam até os confins da terra” (Pv 17:24).
“Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade (Pv 4:25-27).
Suas decisões determinam o seu destino. Você se torna naquilo que você se compromete.

Pergunte: “Qual é a minha meta? Que passos devo dar na direção do meu alvo?


7. Prepare-se para as adversidades
“O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as consequências” (Pv 22:3).
Espere o melhor e prepare-se para o pior!

Pergunte: “O que pode dar errado? E o que fazer se isto acontecer?”



8. Enfrente os seus temores
“Quem teme ao homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro” (Pv 29:25).
Todos temos certo grau de receio, pois todo corajoso tem medo, pois coragem não é ausência de medo, mas, sim, conseguir ir adiante a despeito dele.
Diante do chamado, Moisés tentou se esquivar com a desculpa de que era gago, Jeremias com a de ser jovem demais, e Abraão por se considerar muito velho.
Cuidado! O medo pode ser paralisante. “Quem observa o vento não plantará; e quem olha para as nuvens não colherá” (Ec 11:4).

Pergunte: “Quais são os meus temores?



9. Dê um passo de fé
Não fique esperando as coisas acontecerem. Aja! Após todas as considerações anteriores, tome uma atitude confiando em Deus. “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas (Pv 3:5-6).

Pergunte: “Onde preciso confiar em Deus?”







Mensagem do Bispo ao Conleste 2012

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Tratando com o remédio certo

 "Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos." (1Ts 5.14)


Quem procuraria um médico que não sabe diagnosticar as enfermidades de seus doentes? Ou quem confiaria em um médico que não sabe prescrever a medicação adequada para cada doença?
A função básica e essencial de um médico é reconhecer bem cada tipo de doença e saber tratá-la com a medicação correta. Se um médico trata um canceroso com aspirina, certamente irá matá-lo e se não reconhece um simples resfriado e prescreve uma quimioterapia, também irá matá-lo. 

Assim também na igreja há diferentes tipos de enfermos e devemos cuidar de cada um da forma mais sábia e correta.

No texto acima, o apóstolo Paulo enumera três tipos de pessoas na igreja, e exorta a três tipos de atuação:

• admoesteis os insubmissos
• consoleis os desanimados
• ampareis os fracos


Estes são três tipos completamente diferentes de enfermidade, e Paulo dá a indicação exata do tratamento para cada uma delas.


a) Os insubmissos: Esta é a categoria mais complicada. A enfermidade mais grave para a qual Paulo descreve a medicação mais potente: Admoesteis os insubmissos. Admoestação está no mesmo nível de uma repreensão. Os insubmissos não podem continuar em seu caminho de rebelião. Necessitam ser corrigidos firmemente para ser salvos. Mas, cuidado! Não devemos estar tão prontos a considerar alguém insubmisso. Nem todo desobediente a uma orientação é um insubmisso. Muitas vezes um desobediente pode ser um fraco ou um desanimado. A insubmissão está ligada a uma atitude interior de rebelião, de não reconhecer autoridade sobre si, ou de levantar-se contra a autoridade.


b) Os desanimados: Desânimo é um estado emocional, muitas vezes momentâneo e circunstancial, que qualquer um pode passar. Algumas vezes um discípulo, diante de problemas e dificuldades, pode ser tomado de desânimo e o apóstolo Paulo dá a indicação do remédio que ele necessita: Consolo. Consolo muitas vezes é uma palavra de ânimo, colocando-se ao lado, proclamando a verdade e procurando gerar fé em seu coração.


c) Os fracos: Os fracos são aqueles que desde o início da fé, mesmo tendo o desejo sincero de seguir a Cristo, tem debilidades e deficiências em sua vida como discípulos. Diferem-se totalmente dos insubmissos em sua atitude de coração, pois reconhecem seus erros e aceitam a correção, ainda que às vezes tardem em vencer as suas debilidades. A estes, Paulo orienta que sejam amparados. Amparo quer dizer, suporte e ajuda. Os fracos são como ovelhas debilitadas que necessitam, às vezes, ser carregadas nos ombros.


Dar uma repreensão a um desanimado é o mesmo que dar uma quimioterapia para um gripado lhe causará muitos males. E dar amparo a um insubmisso é dar uma aspirina a um canceroso. Certamente acabará morrendo. Portanto é fundamental que cada líder saiba discernir com precisão a dificuldade de cada discípulo e dar a cada um o que ele necessita.

Ao final do texto, Paulo nos exorta a respeito da atitude que devemos ter com todos os tipos de problemas: "Sejais longânimes para com todos". Portanto qualquer que seja a situação a tratar – seja insubmissão, desânimo ou fraqueza – devemos nos revestir de paciência, sabedoria e graça. Devemos evitar nos exasperar e impacientar.


Forte abraço

Pr Paulo Chein



Um chamado para experimentar a grandeza de servir

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

"Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (I Co 14:40)

O Apóstolo Paulo exorta desta maneira a igreja de Corinto que precisava aprender que a ação do Espírito produz ordem e e decência, e não bagunça e confusão. A liberdade do Espírito não é incompatível com a ordem e a decência deste mesmo Espírito, pois "Deus não é Deus de desordem" (1Co 14.33). Portanto, toda desordem no culto não é de procedência divina. Sabedores disto, cabe aos pastores botarem ordem na casa, não permitindo que o culto seja enrolado e descontrolado. Assim como Paulo estabeleceu regras para o bom andamento do culto, devemos nós fazer o mesmo.

Alguns exemplos de coisas que devemos evitar em um culto:

O culto deve ser objetivo, enxuto, sem vãs repetições.

Cada participante deve possuir uma clara consciência da integridade do culto para não invadirmos a área do outro.

Um dirigente de culto e um líder de louvor não devem fazer comentários bíblicos prolongados, visto que já teremos um pregador e nem muito menos devem fazer apelos, isto quebra as pernas do pregador que também pode ter planejado o mesmo. Isto é confusão e não unção! Dirigentes de culto e de louvor devem ser humildes para limitarem-se ao seu papel. Devem obedecer o tempo estipulado para eles.

A ação do Espírito é qualitativa e não necessariamente quantitativa no que diz respeito a duração do culto. Não é a quantidade de hinos, oração, minutos de pregação que farão de um culto uma verdadeira bênção, mas, sim, a qualidade destas ações! Um sermão curto é geralmente preferível por produzir melhores resultados, pois não é pelo muito falar que seremos ouvidos, como ensinou Jesus a respeito da oração e que se aplica a pregação e ao louvor: "e, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos" (Mt 6.7). Quão frequentemente desobedecemos este mandamento do Senhor! Quanta vã repetição em nossas orações, em nossos louvores e em nossas pregações! Quanta desordem em nossos cultos! Ouçamos o que diz o Senhor! Ordem e decência é mandamento do Senhor (1Co 14.37).

Não sejamos enrolados e repetitivos tornando o culto chato e cansativo. Não vamos permitir também longos testemunhos que só fazem é cansar e irritar o povo. Nós pastores somos responsáveis por controlar cada ato do culto. Algumas de nossas igrejas tem tomado a sábia decisão de solicitar aos membros da igreja que comuniquem por escrito ou pessoalmente o seu testemunho ao pastor que se encarregará de transmitir a congregação de modo bem objetivo e dinâmico!

Devemos cuidar também para que não haja lacunas entre um ato e outro do culto. Todos os participantes devem ser devidamente orientados a respeito de quando se dará a sua participação para estarem prontos para fazer isto assim que chegar a hora sem que sequer seja necessário serem anunciados. Cada participante deve se ater a fazer apenas aquilo para o qual foi designado. Por exemplo, alguém que foi chamado para cantar, não deve ler a Bíblia, orar e ficar falando. Cante! Por falta deste cuidado, muitos cultos são chatos e enrolados, pois cada um que participa quer falar além da conta. Falta aí aquele tal de "si mancol" e o pastor é culpado por permitir tais excessos.

O dirigente de louvor não deve ter a liberdade de fazer um culto dentro do culto, ou seja, não deve ele ignorar a integridade do culto, devendo ater-se simplesmente ao seu papel como parte de um todo que deve ser harmonioso. Um dirigente não deve ler a Bíblia, pregar, orar, fazer apelo e ficar repetindo desnecessariamente as canções ou partes delas. A menção de um versículo, uma oração curta e um comentário bem objetivo, coisa que caiba dentro da introdução natural das próprias canções é aceitável, mas o que passar disto... Deve tomar também o cuidado para que o período de louvor não seja longo e cansativo. Mais uma vez, a qualidade é mais importante que a quantidade. Cuidados devem ser tomados para que as canções possuam boa teologia e que haja um bom planejamento e ensaio para apresentar o melhor para o Senhor, evitando canções que o povo já está cansado de cantar e aquelas que o povo parece não ter muito apetite para cantar. Sensibilidade e bom-senso se fazem necessários para escolha de um bom e variado repertório. Os músicos e cantores devem saber que a igreja é que tem a prioridade. Eles não estão ali para se apresentarem para a igreja, mas para levarem toda a congregação a adorar em Espírito e em Verdade. Cuidado com o volume dos microfones e instrumentos para que não sufoquem a voz do povo de Deus. A congregação precisa se ouvir cantando!

A Ceia do Senhor também precisa ser planejada para que aconteça da forma mais organizada possível, remindo o tempo na hora da distribuição dos elementos. Busque a forma mais prática de fazer isto. Procure conversar com colegas para saber como é que eles estão fazendo em busca de conselhos que possam agilizar o processo. Pense também em pegar uma das canções ou hinos que estariam comumente programadas para acontecer durante o momento de adoração para colocá-la no momento da distribuição da Ceia, buscando aquela que seja adequada para o momento. Além disto, em um culto de Ceia, você pode orientar a congregação a se valer do momento de prelúdio do culto para que façam as suas orações de confissão. Desta forma, a Ceia pode muito bem ser o primeiro ato do culto. Que ninguém se atrase mais para o início do culto!

Por falar nisto, exorto aos pastores que comecem o culto pontualmente, nem um minuto mais nem menos. Jamais nos atrasemos para o nosso encontro com o Senhor como Igreja. Não vamos deixar o Senhor esperando! Isto faz parte da ordem e decência devidas ao culto sagrado! Não sejamos relapsos!

Queremos aprimorar a qualidade de nossos cultos sem perder a unção. Queremos aperfeiçoar nossa pregação, nosso louvor e nosso ensino. Queremos ser uma igreja que prima pela excelência em tudo o que faz. Para isto precisaremos rever o que fazemos para ver como podemos aprimorar.

No amor do Senhor,

Bispo José Ildo Swartele de Mello

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Pregação expositiva

O falecido Dr. E.K. Bailey, pastor fundador da Igreja de Concord em Dallas, Texas, EUA, escreveu um livreto entitulado, "Dez Razões Pela Pregação Expositiva".

No livreto, Dr. Bailey define a pregação expositiva:
"Um sermão expositivo é a mensagem que focaliza uma porção da Escritura para estabelecer claramente of sentido preciso do texto e motivar criativa e diretamente os ouvintes a ações e atitudes ditados pelo texto no poder do Espírito Santo."

Então Bailey dá dez razões pelas quais a igreja precisa desesperadamente de pregação expositiva:

1.       A pregação expositiva cria uma congregação que traz a Bíblia aos cultos.
2.       A pregação expositva cria uma congregação que ama a  Bíblia.
3.       A pregação expositva cria uma congregação que tem consciência da Palavra.
4.       A pregação expositva força o pregador a proclamar todo o conselho de Deus.
5.       A pregação expositva mune o povo para a batalha  espiritual.
6.       A pregação expositva fala às verdadeiras necessidades do povo, que nunca passam pela cabeça do pregador.
7.       A pregação expositva gera um interesse tremendo por aquilo que segue no texto bíblico.
8.       A pregação expositva desafia a vida espiritual do pregador.
9.       A pregação expositva permite as pessoas ouvirem a palavra de Deus e não os pensamentos do pregador.
10.   A pregação expositva estabelece a autoridade absoluta da Palavra de Deus frente ao relativismo ético. 

tradução:  Daniel Owsley

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Vida Devocional na Tradição Wesleyana







Vida Devocional na Tradição Wesleyana



Wesley evitou estes dois extremos: católicos que enfatizavam as tarefas humanas e os luteranos e calvinistas que, por se oporem ao erro católico, acabaram por enfatizar a graça a ponto de negligenciarem as obrigações humanas.

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos no presente século, sensata, justa e piedosamente” (Tito 2.11-12). Deus nos concede talentos gratuitos que devem ser bem empregados de modo a produzirem os resultados por Deus esperados (Mateus 25). Devemos desenvolver a nossa salvação com temor e tremor. Paulo diz que assim como um atleta treina para ser campeão, devemos nos também ser aplicados nas atividades espirituais visando nosso desenvolvimento espiritual. Nosso crescimento espiritual não se dá a despeito da nossa vontade e dedicação. Devemos crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor.

Wesley dedicava-se com esmero a cinco meios de graça:

1) A Oração

2) A Bíblia

3) A Ceia do Senhor

4) O Jejum

5) Célula onde há edificação espiritual e prestação de contas



Além disto, Wesley entendia que havia muito galardão em atos de serviço e misericórdia, principalmente em favor dos pobres e desfavorecidos.





Conclusão



Renovar – importância da vida devocional individual + social

Benefícios das práticas Wesleyanas

Importância dos meios da graça

domingo, 4 de novembro de 2012

Fala que teu servo ouve




Fala que teu servo ouve


Introdução

1) você é salvo?
2) você foi chamado para o ministério?
Se respondeu sim para a primeira deve também ter respondido sim para a segunda

Efésios 4 ensina que todos foram chamados para o ministério. O ministério do pastor não é fazer tudo, mas capacitar e treinar os membros para que eles possam desempenhar seus ministérios.

Somos todos chamados para servir ao Senhor. Somos servos por excelência! Diaconia significa serviço.

Ser servo não é algo muito popular.

2) O que aprendemos com o chamado do Profeta Samuel?

1) Deus nos chama pelo nome, mas podemos não discernir a voz de Deus
2) Deus usa lideres espirituais para nos ajudar a discernir sua voz
3) Deus fala aos servos que estão dispostos a obedecer
Ouça e obedeça!

3) O exemplo de Cristo: João 13:1-17

Jesus conhecia:
  • Quem ele era  
  • O que ele possuía 
  • De onde ele vinha
  • Qual era a Sua posição
Sabendo que todo o poder lhe era conferido, Jesus toma a atitude humilde de servir e lavar os pés dos discípulos. Ele sabia quem era, e a posição que possuía, aí temos a palavra: "então" que liga quem ele é com o que ele faz!

Quando nossa identidade realmente está em Cristo, servir é nossa resposta natural.

Jesus disse que devemos seguir o seu exemplo!
"Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as obedeceis!"


  • Wesley: "Nosso dever é tornar Deus visível para as pessoas"
  • Jesus: Grandeza não é sucesso, prestígio, riqueza e poder, mas é servir com humildade e amor. Jesus define grandeza em Mc 10:43. "O maior é o que serve!"
  • Luther King: "todo mundo pode ser grande pois todos podem servir"
  • Madre Tereza: "Nesta vida não podemos realizar grandes coisas. Podemos apenas fazer pequenas coisas com um grande amor!"     "Sou um pequeno lápis nas mãos de Deus com o propósito de enviar cartas de amor ao mundo."


4) Ilustração pessoal: 


Em Santo André, fui proibido de pregar, de dar a Ceia e só me permitiram fazer visitas. Me realizei nesta tarefa! Grande ministério o da visitação de enfermos e necessitados. Um dos dias mais felizes do meu ministério foi quando fui visitar uma jovem que havia tentado suicidio, saltano do quinto andar de um prédio. Já havia visitado ela no hospital, mas ela estava frustrada por não ter morrido e mais triste ainda por estar incapacitada de tentar de novo, pois seus braços e pernas estavam engessados. Compartilhei o Evangelho, mas sem aparente sucesso. Fui visitá-la, mas o endereço não estava correto. Entrei na favela e comecei a procurar por ela, perguntando se alguem havia visto uma moça entrando com os braços e pernas engessados. Sem sucesso, mas foi aí que uma senhora me chamou para orar em sua casa, pois me viu com a Bíblia. Ministramos a Palavra, ensinamos um corinho para várias crianças que ali estavam e oramos. Subimos uma rua e fomos convidados por outra família para entrar e orar, e depois, mais acima, por uma outra família. Quando descemos a viela, encontramos as crianças na rua cantando alegremente o corinho que havíamos ensinado. Finalmente encontramos o endereço e a moça toda engessada aceitou a Cristo, pediu para ser batizada e experimentou grande ânimo e alegria em sua vida!  
O Apostolo Paulo tinha alegria até mesmo quando era injustamente preso, pois sabia que a Palavra de Deus nunca está aprisionada! Carcereiros se convertiam!  A grandeza das pequenas coisas!


5) Conclusão:

Estamos discernindo a voz e o chamado de Deus?
Estamos dispostos a servir com humildade e alegria?
Qual tem sido a nossa resposta?
Quem gostaria de responder dizendo: ...?

"Fala que o teu servo ouve!"

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O quadrilátero Wesleyano e a Ética Cristã.

Data

8 novembro de 2012

Horário
19h30 às 21h30

Palestrante
Dr. Donald Thorsen

Don Thorsen é PhD e professor de Teologia na Escola de Pós-Graduação da Azusa Pacific University, na cidade de Azusa, Califórnia (EUA). Presidente do Departamento de Pós- Graduação de Teologia e Ética, Thorsen leciona na área de ministério desde 1985 para o
Mestrado e o Doutorado.
Thorsen é autor respeitado com uma vasta literatura: oito livros, dezenas de artigos em revistas acadêmicas e jornais cristãos. Os temas das publicações abrangem Teologia,
História da Igreja, Ministério e Espiritualidade Cristã. E em especial, sobre Cristianismo Evangélico, estudos Wesleyanos e a Vida de Santidade.
A vivência e, por consequência, formação multicultural faz com que Thorsen destaque esse aspecto junto aos seus alunos. O professor ensinou em diversos contextos multiculturais, tanto nos EUA quanto em outros países, somando mais de 50 lugares diferentes. Para Thorsen, é importante e necessário o cristão aprender uns com os outros para proclamar o
Reino de Deus.

R. dos Jacintos, 377 - Mirandópolis - São Paulo - SP (próximo ao metrô Praça da Árvore)
Mais informações pelo tel.: (11) 5579-4629 - Horário de atendimento: 13h30 às 20h30