O significado dos números em Apocalipse

A literatura apocaliptica, que encontramos principalmente nos Livros de Daniel e Apocalipse, se vale de diversas figuras de linguagem, entre elas, cores e números para representar conteúdos proféticos.  Isto não tem nada a ver com numerologia, pois trata-se apenas de simbologia. No decorrer da história de Israel, conforme os registros bíblicos, observa-se que certos números revestiram-se de significados especiais. Veremos alguns exemplos do uso dos números na Bíblia em situações históricas e em afirmações concretas que, de alguma maneira, contribuíram para que estes números pudessem se revestir de determinados significados, e de como foi que João fez uso deles para escrever a Revelação que recebeu do Senhor.



Um
  • Representa princípio, essência, unidade, estabilidade, exclusividade, primazia, estabilidade, absoluto.
  • Um só Deus "Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Deus" (Dt 6:4; Ef 4.6).
  • Um só Pai (Ef 4.6)
  • Um só Senhor (Ef 4.5)
  • Um Só Espírito (Ef 4.4)
  • Um mesmo Espírito (Ef 2.18-19)
  • Unidade do Espírito (Ef 4.3)
  • Uma só fé (Ef 4.5)
  • Um só batismo (Ef 4.5)
  • Uma só esperança (Ef 4.4)
  • O Povo de Deus (Hb 4.9; Jr 32.38)
  • Um só Corpo (Ef 4.4)
  • Um só Rebanho (Sl 77.20)
  • Uma Oliveira (Rm 11)
  • Unigênito do Pai (Jo 1.14; 3.16, 18)
  • Primogênito (Dt 15.19; Sl 89.27; Cl 1.15)
  • Primícias (Dt 18.4; Pv 3.9; 1Co 15.20)
  • Uma só carne (Gn 2.24)



DOIS 
  • Dois é o par perfeito
  • Criação de dois seres humanos, homem e mulher, casal (Gn 1.27). Adão e Eva (Gn 4.1).
  • Duas árvores no Jardim do Éden:  a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 3.11) e a árvore da vida (Gn 3.22).
  • Um Casal de cada espécie entrou na Arca de Noé (Gn 6.19)
  • Dois anjos visitaram Sodoma (Gn 19.1).
  • Duas Alianças ou Dois Testamentos (Lc 22.20 e Hb 8.8-9).
  • Duas tábuas da Lei (Ex 31.18).
  • A Lei e os Profetas, forma preferida de Cristo se referir as Escrituras que dele testificavam (Jo 1:45).
  • "Em verdade, em verdade!" (Jo 6.47).
  • Dois gumes da Espada que representa a Palavra de Deus (Hb 4:12).
  • Duas testemunhas eram necessárias para afirmar a veracidade (Dt 17.6, 19.15, Mt 18.16, 2Co 13.1, e 1 Tm 5.19). 
  • Dois fundamentos da Igreja: profetas e apóstolos (Ef 2.20).
  • Dois grupos de 12 anciãos = 24 anciãos sentados em 24 tronos (Ap 4.4).
  • Duas testemunhas do Apocalipse (11.3). Para saber mais a respeito, leia: http://escatologiacrista.blogspot.com.br/2013/05/as-duas-testemunhas-do-apocalipse.html
  • Dois castiçais (Ap 11.4).
  • Duas oliveiras (Ap 11.4).
  • Josué e Jorobabel ou as duas oliveiras (Ag 1.14; Zc 4).
  • Moisés e Elias representando o testemunho da Lei e dos Profetas (Lc 9.30).
  • Dois espias fiéis: Josué e Caleb (Nm 14.6).
  • Duas bestas do Apocalipse (Ap 13.11).
  • “Melhor e serem dois do que um (Ec. 4.9-12). 
  • Dois é o número bastante ligado a Jesus.
  • Jesus é a segunda pessoa da Trindade (2Co 13.14).
  • Ele é o Segundo Adão ou segundo Homem (1 Cor. 15.47).
  • Jesus possui duas naturezas: a humana e a divina (Jo 1.1-3; Hb 4.15).
  • Dois estágios de missão: morte e ressurreição; sofrimento e glória
  • Duas vindas de Cristo (At 1.11).
  • Duas rolas ou dois pombinhos como oferta pelo pecado (Lv 5.7).
  • Dois bodes para expiação de pecados nos rituais levíticos (Lv 16.5).
  • Jesus enviava seus discípulos de dois em dois como suas testemunhas! (Lc 10.1).
  • Os nomes dos discípulos são dados de dois em dois (Mt 10:2-4).
  • Duas mortes: física e espiritual
  • Duas ressurreições
  • Nascer da Água e do Espírito
  • Graça e Paz!


Três 
  • Os hebreus utilizavam o três como superlativo: "Santo, Santo, Santo" (Is 6.3) para exaltar a Deus.  É o número que se refere a Deus e que significa plenitude (Ap 21.13) e santidade (Ap 4.8).
  • Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo (2Co 13.14)
  • Batismo deve ser feito em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28.19).
  • O tempo possui três partes - passado, presente e futuro.
  • O espaço é constituído de três dimensões: comprimento, largura e profundidade.
  • "Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas" (Ap 21:13).
  • "Três hastes do candelabro de um lado dele, e três hastes do outro lado dele" (Ex 25:32).
  • "Três vezes no ano me celebrareis festa" (Ex 23:14).
  • "E gerou Noé três filhos: Sem, Cão e Jafé" (Gn 6:10).
  • "Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra". (Mt 12:40).
  • "Ao terceiro dia, ressuscitará" (Mc 10:34).
  • "Ah! tu que derrubas o templo, e em três dias o edificas" (Mc 15:29)
  • "Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces" (Lc 22:34).
  • "O cordão de três dobras não se quebra tão depressa" (Ec 4:12)
  • "Três medidas de farinha, até que tudo levedou" (Lc 13:21).
  • "Quando subires para aparecer três vezes no ano diante do Senhor teu Deus" (Ex 34:24).
  • "Dentro ainda de três dias Faraó levantará a tua cabeça (Gn 40:13)
  • "Eis que três cestos brancos estavam sobre a minha cabeça (Gn 40:16).
  • "Esta é a interpretação: As três cestas são três dias" (Gn 40:18).
  • "Havia janelas dispostas de três em três, uma em frente da outra" (1 Rs 7:4).
  • "E os deixou presos três dias" (Gn 42:17).
  • "E três dos trinta capitães desceram à penha, a ter com Davi" (1 Cr 11:15).
  • Jesus morreu com a idade de 33 anos.


Quatro 
  • Número que aponta para a Terra: 
  • Os 4 pontos cardeais da terra: norte, sul, leste e oeste (Ap 4.6; 7.1; 20.8); 
  • Os 4 elementos da Natureza: terra, fogo, água, ar;
  • As quatro estações do ano: primavera, verão, outono e inverno;
  • Formato quadrangular da Nova Jerusalém como sinal de plenitude, de equilíbrio e de perfeição (Ap 21.16): 
  • 4 Seres Viventes
  • 4 Evangelhos


Sete
  • É uma composição de 3+4.
  • Indica plenitude, perfeição, totalidade, acabado (Ap 1.4);
  • Sete Dias da Criação
  • Sete dias da semana
  • Sétimo dia reservado para o descanso
  • Sete Igrejas do Apocalipse representando a Igreja como um todo.
  • Sete Espíritos de Deus significando a perfeição da multiforme e graça e sabedoria de Deus.
  • Sete Bem-aventuranças do Apocalipse
  • Sete selos
  • Sete trombetas
  • Sete taças
  • Sete milagres do Evangelho de João
  • Sete "Eu Sou" que aparecem também no Evangelho de João em defesa da divindade de Cristo.


Dez


  • “Dez dias de provação” (Ap 2.10; cf. Dn 1.12,14) tempo de curta duração.


Doze
  • É uma composição de 3x4; número de perfeição e de totalidade (Ap 21.12-14). Representa a Igreja e a autoridade de Deus. Jesus teve 12 discípulos, e havia 12 tribos de Israel. Em Apocalipse 12:01, os 24 Anciãos e 144 mil são múltiplos de 12. 
  • A Nova Jerusalém tem 12 fundações, 12 portas 12.000 estádios, uma árvore com 12 tipos de frutas 12 vezes por ano comido por 12 vezes ou 12.000 a 144.000. (Ver Apocalipse 21).


 Vinte e quatro
  • É uma composição de 2x12; representa a totalidade do povo de Deus,
  • os 24 anciãos (Ap 4.4) incluindo tanto os representantes do povo do AT (12 tribos) e do povo do NT (12 apóstolos).


Quarenta e dois meses 
  • A primeira menção na Bíblia do número quarenta e dois aparece em Números 33. Ali encontramos um resumo de todo o percurso do povo Hebreu desde a sua redenção do Egito até chegar a Terra Prometida. Foram 42 partidas e 42 acampamentos no deserto desde Sucote até o Jordão. A partir daí, 42 passa a ser relacionado com o tempo de peregrinação no deserto. Os quarenta e dois meses de Apocalipse 11.2 é igual a três anos e meio (período do ministério de Jesus e também das Duas Testemunhas) e o mesmo que 1.260 dias em que o povo de Deus, representado ali por uma Mulher, é sustentado e protegido no Deserto (Ap 12.6), período este também descrito em termos de “um tempo, dois tempos, metade de um tempo” (Ap 12.14; Dn 7.25). 
  • Três anos e méio é a metade de sete anos; indicando um tempo limitado e controlado por Deus para o cumprimento cabal da missão conferida a Igreja. A Besta somente tem autorização para emergir do mar (Ap 13.1) e matar os santos (Ap 13.7) após o cumprimento da missão da Igreja (Ap 12.6-11), que recebeu poder para testemunhar de Cristo (At 1.8). Recebemos autoridade e tempo para completarmos a nossa carreira! (2Tm 4.7). "As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja" (Mt 16.18).


 Seiscentos e sessenta e seis
  • 666 é o número da Besta. Este número é figurado e precisa ser calculado: "Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis" (Ap 13.18).
  • Em grego e em hebraico, cada letra tinha um valor numérico, assim como nos algarismos Romanos, onde V representa 5, X representa 10 e assim por diante. Então, era costume calcular o número de um nome através da do valor numérico de suas letras. Aplicando-se este raciocínio ao nome em hebraico do Imperador Romano Neron Kaiser ou Nrwn Qsr, o resultado é exatamente o número 666.
  • Seis não alcança a perfeição divina do sete
  • Seis é apenas a metade de doze que simboliza o povo de Deus. O povo de Deus não admite receber a marca da Besta, pois possuem o selo do perfeito Espírito de Deus.
  • Seis é número de homem. Lembremos que foi no sexto dia que foram criados os seres viventes, entre eles, as bestas-feras (Gênesis 1:24) e o próprio homem (Gênesis 1:26). A Besta é um homem que acha que pode ocupar o lugar de Deus:  "o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus" (2 Ts 2:3-4).
  • A tripla referência ao número 6, representa o cúmulo da imperfeição e da pretenção de ser como Deus = 666. Pois, como já vimos, o número três significa plenitude. Na Trindade, temos 777, ou seja, a perfeição do Pai, a perfeição do Filho e a perfeição do Espírito Santo. Satanás tenta imitar a Deus, manifestando-se com sua tríade do mal: dragão, besta e falso profeta ("Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs" - Ap 16.13), mas fracassa em sua pretenção, alcançando apenas 666, sendo totalmente destruídos no final da história. Portanto, o número seis repetido três vezes indica a plenitude da imperfeição e do mal.
  • Lembremos também que, no sexto selo, na sexta trombeta e na sexta taça, temos a descrição dos juízos de Deus sobre os seguidores da besta.


Mil
  • Sabemos também que o número mil representa plenitude como vemos em Salmos 84:10: "Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar";
  • Até mesmo em expressões corriqueiras se percebe este uso do mil, tais como: "mil vezes mais" e "eu já ti falei mil vezes".
  • Reino de mil anos, onde mil indica a plenitude deste reino (Ap 20.2); 
  • 7 X 1.000 = 7.000 (Ap 11.13);
  • 12 X 1.000 = 12.000 (Ap 7.5-8);
  • 144 X 1.000 = 144.000 (Ap. 7.4)
  • "Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia" (2 Pe 3.8).


Cento e quarenta e quatro mil
  • Cento e quarenta e quatro mil é uma composição de 12x12X1.000 (Ap 21.7) trazendo a ideia de grande perfeição e totalidade. Doze é o número usado para representar o povo de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento. São Doze Tribos no Antigo Testamento e Doze Apóstolos no Novo. Sabemos também que o número mil representa plenitude como vemos em Apocalipse 20 e no Salmo 84:10: "Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar"; E, até mesmo em expressões corriqueiras se percebe este uso do mil, tais como: "mil vezes mais" e "eu já ti falei mil vezes". Sendo assim, é bastante lógico concluir que o que o número 144.000 está sendo utilizado para representar a totalidade do povo de Deus, a soma dos remidos do Antigo e do Novo Testamento, que também são representados pelos 24 anciãos e pelos sete candelabros.
  • A expressão "até que selemos as testas dos servos do nosso Deus” (Ap 7.4) indica que os 144.000 sejam uma clara referência a Igreja como um todo, pois sabemos que os salvos da Igreja é que são descritos como os selados (Ef 1.13; 4.30) e também é óbvio que os "servos do nosso Deus" no Novo Testamento só pode ser uma referência a Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo. Além disto, Apocalipse 14.1 descreve os 144.000 como estando ao lado do Cordeiro, trazendo escritos na testa o nome dele, o que confirma tratar-se de um grupo cristão de seguidores de Jesus Cristo, pois também é dito que eles "seguem o Cordeiro por onde quer que ele vá" (14.4). Os 144.000 também são descritos como aqueles que "haviam sido comprados da terra", e sabemos bem que os remidos da Igreja é que "foram comprados por alto preço" (1 Co 6.20; 7.23).
  • No livro de Apocalipse, a Igreja é que está em foco e não os judeus. O Apocalipse foi escrito para consolar e encorajar a Igreja; sendo assim, que conforto e ânimo seus membros teriam numa interpretação literal dos 144.000?  Por que Jesus concederia proteção especial para 144.000 judeus e não para a Sua Igreja (7.3)?
  • Uma interpretação literal colocaria de fora os patriarcas Abraão, Isaque e Jacó, pois os 144 mil são descritos como homens castos que jamais tiveram relações sexuais, o que excluiria também todas as mulheres (Ap 14.4).



Bispo José Ildo Swartele de Mello

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

Lições extraídas da história de Mefibosete