sábado, 29 de junho de 2013

A falácia do calvinismo

O calvinismo ensina que o ser humano é totalmente depravado, não sendo capaz de atos de pura bondade e nem de responder a Deus com fé e arrependimento. Mas, neste caso, Deus seria injusto ao exigir fé e arrependimento de seres que são totalmente incapazes de crer e se arrepender, assim como um pai seria injusto se pedisse a seu filho de 5 anos de idade que carregasse nas costas uma geladeira e, por fim,  o punisse severamente por não cumprir o seu mandamento. Tal pedido seria absurdo devido a total incapacidade do filho para o cumprimento daquela tarefa. Se o filho é incapaz de cumprir uma tarefa, então, não pode ser culpado por não cumpri-la. 

Deus é coerente e justo. Se Deus ordena a todos os homens que se arrependam é por que todos são capacitados para tanto. Sendo assim, são verdadeiramente responsáveis pela forma como responderão a Deus.

Se os inúmeros chamados, ordens e advertências na Bíblia devem ser realmente levados a sério, então o homem deve ter capacidade para responder positivamente para seu benefício e salvação.


"Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam" (At 17.30).

"Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente"  (Tt 2:11-12).

"Ora, no seu último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba" (Jo 7.37).

Um grande abraço,
Bispo José Ildo Swartele de Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário