Pular para o conteúdo principal

As Quatro Dimensões do Amor de Deus



Quando vamos a praia e damos aquele mergulho, entramos em contato com as águas do imenso oceano Atlânico. O que os nossos olhos conseguem ver já é algo impressionante, mas trata-se apenas de uma ínfima fração deste vasto mar. Uma viagem de navio ou de avião pode nos ajudar a ter uma idéia melhor do seu tamanho, mas estaríamos apenas tendo um vislumbre da superfície. Com um submarino, poderíamos penetrar em suas profundezas. Mas quanto tempo seria necessário para viajarmos por todo o seu interior? Quem saberia dizer quantos litros d'água tem o oceano Atlântico? Cientistas calculam que a quantidade seja de 354.700.000.000 litros de água! Você sabe o que isto significa? Muita, mas muita água mesmo! Bem, mas o Atlântico nem é o maior dos oceanos. E muito maior do que todos os oceanos juntos é o amor de Deus. 

Nós somos banhados pelo amor de Deus, mas costumamos não fazer ideia de sua dimensão. Por isto é que o Apóstolo Paulo ora pedindo a Deus que nos ajude a compreender melhor a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade deste imensurável amor (Ef 3:18), o que servirá de raiz e alicerce para o nosso crescimento e fortalecimento espiritual (Ef 3.17) 


Muitos duvidam do amor de Deus ou tem uma ideia deturpada dele. Deus prova o seu amor pelo fato de Cristo ter morrido por nós quando nós ainda éramos pecadores. O Pai amou seu filho pródigo, acolhendo-o carinhosamente de braços abertos (Lc 15.20). Assim como o profeta Oséias amou sua esposa infiel, perdoando-a e lhe concedendo mais uma oportunidade (Os 3.1 e 11.8), assim Deus também ama a todos os pecadores de maneira tal que enviou seu único filho para morrer no lugar deles para que eles pudessem através da fé alcançar a vida eterna (Jo 3.16).


Deus é amor, mas quando ignoramos isto estamos sujeitos a opressão e derrota, como disse Deus: "O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento" (Os 4.6). O conhecimento de Deus e de sua misericórdia é o maior dever religioso (Os 6.6). "Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor" (Os 6:3a).

Bispo Ildo Mello

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

"Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (I Co 14:40)

O Apóstolo Paulo exorta desta maneira a igreja de Corinto que precisava aprender que a ação do Espírito produz ordem e e decência, e não bagunça e confusão. A liberdade do Espírito não é incompatível com a ordem e a decência deste mesmo Espírito, pois "Deus não é Deus de desordem" (1Co 14.33). Portanto, toda desordem no culto não é de procedência divina. Sabedores disto, cabe aos pastores botarem ordem na casa, não permitindo que o culto seja enrolado e descontrolado. Assim como Paulo estabeleceu regras para o bom andamento do culto, devemos nós fazer o mesmo.

Alguns exemplos de coisas que devemos evitar em um culto:

O culto deve ser objetivo, enxuto, sem vãs repetições.

Cada participante deve possuir uma clara consciência da integridade do culto para não invadirmos a área do outro.

Um dirigente de culto e um líder de louvor não devem fazer comentários bíblicos prolongados, visto que já teremos um pregador…

Lições extraídas da história de Mefibosete

Áudio:
Vídeo:
Mefibosete from Ildo Swartele Mello on Vimeo.

Lições extraídas da história de Mefibosete Mefibosete nasceu num "berço de ouro" de um "palácio real", pois era neto do Rei Saul, filho do Príncipe Jônatas (2Sam 4.4). Entretanto, uma tragédia se abateu sobre sua vida quando ele tinha apenas 5 anos de idade. Israel foi derrotado em uma sangrenta batalha. A notícia da morte de Saul e de Jônatas chegaram até a casa real; então, a babá de Mefibosete, temendo que o menino também fosse morto, o toma em seus braços e foge correndo, mas, na pressa, acaba tropeçando e deixando o menino cair. Na queda, Mefibosete despedaça os pés e fica aleijado.

Agora, ele está órfão de pai e mãe. Perdeu a majestade, perdeu a saúde e vive escondido em um humilde povoado na casa de um bom homem chamado Maquir, que foi quem o amparou, adotando-o como filho.

Tais tragédias são frutos da rebeldia do Rei Saul, que plantou ventos e acabou colhendo tempestades devastadoras para a sua …

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

IntroduçãoOs pré-tribulacionistas afirmam que Deus não permitirá que a Igreja sofra no período da Grande Tribulação. Mas, não existe nenhum versículo bíblico que ensine que a Igreja não passará pela Grande Tribulação e nada existe também na Bíblia sobre uma Segunda Vinda de Cristo em duas fases ou etapas, separadas por sete anos de Grande Tribulação, e também não há nada sobre um arrebatamento “secreto”, pois não há nada de secreto e silencioso nos relatos que descrevem o arrebatamento da Igreja (1Ts 4.16-17; Mt 24.31). 
Outra incongruência deste ponto de vista é a ideia de um arrebatamento para tirar a Igreja e o Espírito Santo da Terra antes da manifestação do Anticristo. Se este fosse o caso, o Anticristo seria anti o quê? Anticristos são falsos profetas que já atuavam no mundo nos tempos mais primitivos da Igreja. Não devemos confundir Anticristo com a Besta ou Bestas Apocalípticas. Todas as menções ao(s) Anticristo(s) aparecem nas epístolas joaninas e dizem respeito aos hereges o…