Pular para o conteúdo principal

Proposta Indecente

"Proposta Indecente"

A história que veremos a seguir exibe uma curiosa semelhança temática com o famoso filme "Proposta Indecente", que descreve o conflito de um casal em dificuldades financeiras que recebe uma proposta tentadora de um milionário, que oferece um milhão de dólares para passar uma noite com a esposa. Podemos estabelecer um paralelo entre a ação daquele milionário e a do poderoso faraó egípicio da época do Êxodo, pois ambos estão se favorecendo de sua posição de poder para explorar e tirar proveito dos que estão numa condição de fragilidade, e ambos também querem, com astúcia, negociar.

Estudaremos algumas das artimanhas de Satanás, o deus deste século (2 Co 4.4), para seduzir e cativar as pessoas, com o intuito de conhecer melhor o seu modus operandi. Pois não devemos nem ignorar as suas estratégias e nem os seus intentos (2Co 2.11). Lemos que Moisés foi à presença de Faraó com a incumbência divina de libertar o povo hebreu da escravidão do Egito (Ex 5.1). Faraó não se mostra nem um pouco disposto a abrir mão dos seus escravos (Ex 7.14). Vem, então, uma sucessão de pragas sobre o Egito. Após a quarta praga, em apuros, Faraó manda chamar Moisés, mas não se engane, pois ele não está disposto a obedecer a ordem de Deus, o que ele quer é negociar. Agindo assim, com tamanha astúcia, ele parece um tipo de Satanás. Cuidado! Não negocie com o Diabo! Veja a proposta que ele faz: 

"ADORA A DEUS NESTA TERRA" (Ex 8.25)

Repare que faraó está tentando pechinchar, pois, quando não consegue conquistar tudo, vai tentar agarrar o que for possível. Ele está buscando diminuir os requerimentos de Deus. Faraó não quer perder o domínio sobre os seus escravos. Ele está como que dizendo: “continuem me servindo, continuem presos ao Egito, e tudo bem se vocês quiserem adorar a Deus também. É uma proposta para servir a dois Senhores, algo que Jesus condenou abertamente (Mt 6.24). É uma proposta indecente! 

"NÃO VADES MUITO LONGE" (Ex 8.28)


Como quem diz: “fiquem nas imediações, fiquem por aí, dando bobeira, não precisam se afastar, não há perigo algum, vocês são fortes, não precisam fugir..." Faraó propõe isto, pois sabe muito bem o poder de sedução do Reino do Egito”. O Egito não representa apenas dor e sofrimento, pois oferece também muitos atrativos. Faraó pressente que o povo hebreu ainda vai sentir saudades da exuberância, da glória e das iguarias do Egito. Tais atrativos acabarão mesmo por levar o povo a desprezar o próprio maná do céu  (Nm 11.4-6). O sapo parece usar estratégia semelhante para apanhar o mosquito, pois ele bem sabe o alcance de sua língua, coisa que o mosquito desconhece. "Não deis lugar ao diabo" (Ef 4.27). À semelhança de José, que correu do assédio da mulher de Potifar (Gn 39), devemos fugir para longe das paixões da mocidade como também adverte o Apóstolo Paulo (2Tm 2.22; ver também Pv 4.15; Sl 34.14).

"IDE SOMENTE OS HOMENS" (Ex 10.11)

Quando não consegue manter todos presos ao Egito, faraó tenta pelo menos manter alguns. Pode ser que ele esteja insinuando que isto de adorar a Deus é coisa só para homens, ou só para mulheres, ou, ainda, que isto é coisa de criança, pois os adultos têm coisas mais importantes a fazer. Pode ser também que ele esteja sugerindo que não é necessário que todos da família prestem culto e sirvam ao Senhor, bastando apenas que alguns façam isto em nome de todos. Satanás é ardiloso na promoção do jugo desigual, sabendo que se um fica preso, acaba atraindo e puxando o que está livre (2 Co 6.14). Mas Josué disse: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15)! Não apenas parte da família, mas toda a casa! Este é um dos propósitos de Deus, que o diabo tenta impedir de todas as formas.

"FIQUEM OS VOSSOS REBANHOS" (Ex 10.24)

Eis aqui o último reduto de Satanás, a sua última trincheira: "Os bens materiais". O dinheiro é a última coisa de que ele abre mão. Ele insiste, até o fim, buscando manter o dinheiro e as riquezas sob o seu domínio, para que sirvam aos seus propósitos e não aos de Deus. É por esta razão que se diz que a última coisa a se converter num homem é o "bolso". “pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos” (1Tm 6.10).

 
Vimos, assim, como faraó, tipificando Satanás, tentou impedir, de diversas maneiras, que o povo fosse liberto para adorar e servir a Deus de modo pleno e integral. Tudo o que o diabo oferece é com intuito de escravisar, matar e destruir (Jo 10.10).  Mas vimos também, na grande libertação da Páscoa, como Deus, por amor (Rm 5.8),  é capaz de mover céus e terra (e até mesmo o mar!) para salvar e libertar os oprimidos e cativos (Cl 1.13). Olhando para a Cruz de Cristo, vemos o alto preço que o Pai pagou para a redenção humana, para que todos possamos experimentar a liberdade e a vida abundante que só encontramos em Deus (Jo 10.10).
 
Bispo José Ildo Swartele de Mello


Comentários

  1. Prezado Bispo José Ildo,
    graça e paz.
    Acompanho seu blog, desde que preparei uma aula para EBD de minha igreja, sobre o livro de Daniel. Desde então sou abençoado por seus artigos, sempre bem escritos e biblicamente embasados, como este último.
    Que Deus continue abençoando seu ministério.
    Nelson Calmon

    ResponderExcluir
  2. Caro Nelson,

    Fiquei muito feliz em saber do seu apreço pelos estudos e mensagens que tenho escrito.
    Deus o abençoe mais e mais!
    Ildo
    www.imeldemirandopolis.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

"Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (I Co 14:40)

O Apóstolo Paulo exorta desta maneira a igreja de Corinto que precisava aprender que a ação do Espírito produz ordem e e decência, e não bagunça e confusão. A liberdade do Espírito não é incompatível com a ordem e a decência deste mesmo Espírito, pois "Deus não é Deus de desordem" (1Co 14.33). Portanto, toda desordem no culto não é de procedência divina. Sabedores disto, cabe aos pastores botarem ordem na casa, não permitindo que o culto seja enrolado e descontrolado. Assim como Paulo estabeleceu regras para o bom andamento do culto, devemos nós fazer o mesmo.

Alguns exemplos de coisas que devemos evitar em um culto:

O culto deve ser objetivo, enxuto, sem vãs repetições.

Cada participante deve possuir uma clara consciência da integridade do culto para não invadirmos a área do outro.

Um dirigente de culto e um líder de louvor não devem fazer comentários bíblicos prolongados, visto que já teremos um pregador…

Lições extraídas da história de Mefibosete

Áudio:
Vídeo:
Mefibosete from Ildo Swartele Mello on Vimeo.

Lições extraídas da história de Mefibosete Mefibosete nasceu num "berço de ouro" de um "palácio real", pois era neto do Rei Saul, filho do Príncipe Jônatas (2Sam 4.4). Entretanto, uma tragédia se abateu sobre sua vida quando ele tinha apenas 5 anos de idade. Israel foi derrotado em uma sangrenta batalha. A notícia da morte de Saul e de Jônatas chegaram até a casa real; então, a babá de Mefibosete, temendo que o menino também fosse morto, o toma em seus braços e foge correndo, mas, na pressa, acaba tropeçando e deixando o menino cair. Na queda, Mefibosete despedaça os pés e fica aleijado.

Agora, ele está órfão de pai e mãe. Perdeu a majestade, perdeu a saúde e vive escondido em um humilde povoado na casa de um bom homem chamado Maquir, que foi quem o amparou, adotando-o como filho.

Tais tragédias são frutos da rebeldia do Rei Saul, que plantou ventos e acabou colhendo tempestades devastadoras para a sua …

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

IntroduçãoOs pré-tribulacionistas afirmam que Deus não permitirá que a Igreja sofra no período da Grande Tribulação. Mas, não existe nenhum versículo bíblico que ensine que a Igreja não passará pela Grande Tribulação e nada existe também na Bíblia sobre uma Segunda Vinda de Cristo em duas fases ou etapas, separadas por sete anos de Grande Tribulação, e também não há nada sobre um arrebatamento “secreto”, pois não há nada de secreto e silencioso nos relatos que descrevem o arrebatamento da Igreja (1Ts 4.16-17; Mt 24.31). 
Outra incongruência deste ponto de vista é a ideia de um arrebatamento para tirar a Igreja e o Espírito Santo da Terra antes da manifestação do Anticristo. Se este fosse o caso, o Anticristo seria anti o quê? Anticristos são falsos profetas que já atuavam no mundo nos tempos mais primitivos da Igreja. Não devemos confundir Anticristo com a Besta ou Bestas Apocalípticas. Todas as menções ao(s) Anticristo(s) aparecem nas epístolas joaninas e dizem respeito aos hereges o…