Situações

Vídeo da mensagem que preguei inspirado na canção "Situações" do Grupo Logos, traçando um paralelo com a vida do Apóstolo Pedro



Situações

"Situações nesta vida me fazem sentir, que não sou forte a ponto de até resistir.
Nestes terríveis momentos os maus pensamentos me querem levar a um extremo de vida, que meu equilíbrio se deixa enganar.
Instantes que se prolongam tentando mudar, tudo que já se fez novo, pois Cristo mudou;
Tentando hoje trazer, o que eu tento esquecer, sou vencedor e ninguém poderá me deter.
Pois eu sei que jamais eu provado serei além do que eu possa suportar.
E se ainda eu cair e pensar que é o fim, Jesus me ergue e segue junto a mim!
Jesus me ergue e segue sim, Jesus me ergue e segue sim, Jesus me ergue e segue junto a mim!"
Grupo Logos



Esta bela canção foi marcante na primeira metade da década de 80 na vida de muitos crentes. Ela retrata a luta interior da carne contra o Espírito (Gl 5.17). O cristão luta contra muitas tentações e corre o risco de tropeçar e cair (Jo 18.27 e Mt 14.30). Cristo nos concede proteção e força para não cairmos em tentação (Mt 6.13; 1 Co 10.13 e 2 Co 10.4), mas se isto acontecer, não devemos entregar os pontos (1 Jo 2.1-2). Não devemos deixar que o inimigo de nossas almas nos confunda lançando dúvidas sobre nossa união com Cristo (Gl 3.27; 1 Jo 3.20 e Hb 9.14). Pois Jesus nos estende a mão misericordiosa e boa para nos erguer e nos manter de pé em nossa caminhada (Sl 37.24 e Mt 14.31). Jesus é nosso melhor e fiel amigo (1 Jo 1.9)! Jamais desista (Gl 6.9)!


Esta canção me fez lembrar de Pedro, o apóstolo. Originalmente, seu nome era Simão. Foi Jesus que lhe deu o nome de Pedro, que significa rocha (Jo 1.42)! Quando Jesus o chamou, ele não passava de Simão, um pescador como tantos outros (Lc 5). Um homem instável e cheio de defeitos. Jesus lhe disse: "eu farei de você um pescador de homens" (Lc 5.10)! Simão abandonou as redes e começou a seguir a Jesus (lc 5.11). Apesar do novo nome, Pedro alternava altos e baixos. Ás vezes, falava como Pedro, outras tantas como Simão. Revelava desprendimento (Lc 18.28), mas também ambição (Jo 10.41). Em um momento de fé, é visto caminhando sobre as águas (Mt 14.29) e, num momento seguinte de incredulidade é visto afundando (Mt 14.30). Era capaz de atos de bravura, mas também de covardia (Lc 22.56). Quando Pedro negou a Jesus, ele caiu em prantos, ficou completamente arrasado. Ele falhou feio, fracassou de tal maneira que não via mais esperança de seguir sendo apóstolo de Cristo. Ele sente-se totalmente inapto para a vocação de ser um pescador de homens, tanto que, mesmo após a ressurreição de Cristo, vemos Pedro retornando ao velho ofício de pescador (Jo 21.3). Mas, Jesus não desistiu de Pedro! Pois, "Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo" (Fp 1:6). Jesus, mais uma vez, vai ao encontro de Pedro e o encontra no mesmo lugar, fazendo a mesma coisa de antes, tentando pescar peixes, mas sem sucesso (Jo 21.3). Jesus reproduz o mesmo milagre da pesca maravilhosa, revelando-se novamente como o Senhor de tudo que há (Jo 21.5, cp. Lc 5.4-9). O diálogo que se segue entre Jesus e Pedro é de magnífica beleza e profundo significado (Jo 21.15-19). Pedro que, há apenas alguns dias atrás, havia negado a Cristo por três vezes, agora, confessa o seu grande amor por Cristo por não uma e nem duas, mas três vezes. De modo que Jesus confirma a vocação de Pedro como pescador e pastor de homens. Jesus termina a conversa profetizando que aquele Simão que covardemente o havia negado até mesmo diante de uma criada (Lc 22.56), um dia morreria na cruz porque se tornaria capaz de confessar e honrar o nome de Jesus diante do próprio imperador (Jo 21.18-19).


Jesus continua chamando e transformando "Simãos" em "Pedros", covardes em corajosos, pecadores em santos, pescadores de peixes em pescadores de homens. Deus transformou Saulo em Paulo, Abrão em Abraão, Sarai em Sará e até mesmo Jacó em Israel! Cada salvo em Cristo possui também um novo nome (Ap 2.17). Deus não nos concede apenas o poder de sermos chamados de filhos de Deus, mas de sermos feitos filhos de Deus (Jo 1.12)! As mudanças nem sempre são instantâneas, no geral, fazem parte de um processo de discipulado. Não desanime diante dos percalços de sua caminhada com Cristo. Você recebe força divina para caminhar em vitória, mas se tropeçar, lembre-se que, em Jesus, você tem um advogado e não um juiz (1 Jo 2.1). Jesus estende sua mão para erguê-lo assim como fez com Pedro (Mt 14.31). Ele não o arrasta, mas o levanta. pois quer ver você caminhando com suas próprias pernas. Ele quer que você, de livre e espontânea vontade, confesse seu amor por ele através de palavras e obras.


"Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus" (Hb 12:1-2).




      


Bispo Ildo Mello

Igreja Metodista Livre: metodistalivre.org.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

Lições extraídas da história de Mefibosete

A Igreja passa pela Grande Tribulação?