Pular para o conteúdo principal

Zaqueu, encontrando a razão de viver



Baseado em Lucas 19.1-10

Zaqueu buscou felicidade acumulando riquezas, mas insatisfeito, ansiava por algo que realmente pudesse preencher seu vazio existencial. Ouvindo falar de Jesus, foi procurá-lo, mas deparou-se com uma multidão entre ele e Jesus. Uma multidão de coisas e pessoas costumam se interpor no caminho daqueles que desejam encontrar e seguir a Jesus. Além disto, temos de superar obstáculos internos, íntimos e pessoais, como preconceitos, incredulidade e apego as coisas mundanas, representados ali pela pequena estatura de Zaqueu, que dificultava ainda mais que ele pudesse ao menos avistar a Jesus no meio daquela multidão. Diantes de tais obstáculos, Zaqueu não recuou, antes, correu adiante, buscou ajuda, encontrou uma árvore e nela subiu para avistar a Jesus. Ele encontrou uma boa árvore! Pois Jesus passaria exatamente por debaixo dela. Se é fato que existe uma multidão servindo de obstáculo, é certo também que Deus coloca uma árvore para nos socorrer! Uma igreja, um crente fiel que nos ajuda a encontrar a Jesus!

Jesus parou debaixo daquela árvore para dar atenção a Zaqueu. Ele pára para você também. Jesus se importa! Ele olhou para cima e viu a Zaqueu. Jesus também olha para você. Ele vê o seu estado. Ele quer ajudar!

O mais impressionante para Zaqueu, foi quando Jesus o chamou pelo próprio nome. Eles nunca haviam sido apresentados antes. Isto revela a onisciência de Cristo. Jesus sabe tudo a nosso respeito. Ele é o nosso Criador! Jesus fala com Zaqueu com autoridade e intimidade. Zaqueu reconhece a voz do Bom Pastor e obedece de bom grado. Zaqueu leva Jesus para sua casa.

Os legalistas quando viram Jesus entrando na casa de Zaqueu começaram a criticá-lo, pois Zaqueu era um pecador contumaz. Mas Jesus veio buscar e salvar os pecadores, pois são os enfermos que precisam de médico. Enquanto a crítica corria solta fora da casa, lá dentro, Zaqueu dava provas de ser uma pessoa mudada. Arrependido, decide partilhar metade de seus bens com os pobres e também se propõe a restituir a todas as pessoas que ele havia prejudicado quatro vezes mais do que havia sido "roubado". Reconciliado com Deus, Zaqueu está agora também reconciliando-se com seus próximos. Jesus lhe confere uma nova vida. Ele tem um futuro novo pela frente, mas também está preocupado em reconciliar-se com o seu passado. O encontro com Cristo produziu efeitos extraordinários na vida de Zaqueu.

Jesus continua vivo e poderoso para transformar vidas.

Jesus está passando... "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto" (Is 55.6).



Bispo José Ildo Swartele de Mello

www.metodistalivre.org.br

www.imeldemirandopolis.blogspot.com

www.escatologiacrista.blogspot.com

http://www.scribd.com/ildomello

http://twitter.com/ildomello

Comentários

  1. Nobre Bispo,
    Na minha concepção, o ARREPENDIMENTO não é um DOM que Deus concede aos homens, como muitos pensam, mas, sim, um dos ATRIBUTOS divinos, da mesma forma que a FÉ, os quais nos foram comunicados quando Deus nos criou à Sua imagem e semelhança.
    Cada qual tem a liberdade de manifestá-los de acordo com suas próprias vontades, exatamente como nos mostram algumas passagens bíblicas, como, por exemplo, a parábola do semeador, onde os homens são comparados a certos tipos de terrenos, nos quais são lançadas a semente (a Palavra de Deus), e cada um escolhe como receber a semeadura (dando fruto ou não).
    Com relação ao Criador, a manifestação do ATRIBUTO divino do ARREPENDIMENTO é mostrada em algumas passagens bíblicas, as quais demonstram o Senhor se ARREPENDENDO do mal que intentava fazer a determinadas pessoas, como resultado da Sua infinita misericórdia (Jn 3:10).
    Já, com relação ao ATRIBUTO da FÉ, a própria ciência comprova que o homem foi projetado para crer em um ser superior, conforme diz o Dr. Rodrigo Silva: https://www.youtube.com/watch?v=2DF-bUMBmJ0
    Ou seja, ao nos criar à Sua imagem e semelhança, o Senhor Deus nos transmitiu, entre outros atributos, o ATRIBUTO da FÉ, o qual faz parte do Seu próprio ser. Quando Ele disse, por exemplo, "Haja Luz!", será que Ele não cria que a luz apareceria?
    Outrossim, quando Ele profetizou que a semente da mulher pisaria a cabeça da serpente, mais uma vez aparece a manifestação do ATRIBUTO da FÉ, pois, naquele momento, o Senhor Deus estava falando de Jesus Cristo, o qual, por certo, possuía livre-arbítrio e poderia ter negado a cruz, diante do martírio que haveria de passar.
    Ou será que alguém duvida que Jesus possuía liberdade de escolha? Se alguém tem alguma dúvida, basta ler Is 7:15-16.
    Portanto, muitos enganam-se quando lêem Efésios 2:8, negligenciando que tal capítulo está falando do DOM da SALVAÇÃO e não do ATRIBUTO da FÉ.
    Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

"Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (I Co 14:40)

O Apóstolo Paulo exorta desta maneira a igreja de Corinto que precisava aprender que a ação do Espírito produz ordem e e decência, e não bagunça e confusão. A liberdade do Espírito não é incompatível com a ordem e a decência deste mesmo Espírito, pois "Deus não é Deus de desordem" (1Co 14.33). Portanto, toda desordem no culto não é de procedência divina. Sabedores disto, cabe aos pastores botarem ordem na casa, não permitindo que o culto seja enrolado e descontrolado. Assim como Paulo estabeleceu regras para o bom andamento do culto, devemos nós fazer o mesmo.

Alguns exemplos de coisas que devemos evitar em um culto:

O culto deve ser objetivo, enxuto, sem vãs repetições.

Cada participante deve possuir uma clara consciência da integridade do culto para não invadirmos a área do outro.

Um dirigente de culto e um líder de louvor não devem fazer comentários bíblicos prolongados, visto que já teremos um pregador…

Lições extraídas da história de Mefibosete

Áudio:
Vídeo:
Mefibosete from Ildo Swartele Mello on Vimeo.

Lições extraídas da história de Mefibosete Mefibosete nasceu num "berço de ouro" de um "palácio real", pois era neto do Rei Saul, filho do Príncipe Jônatas (2Sam 4.4). Entretanto, uma tragédia se abateu sobre sua vida quando ele tinha apenas 5 anos de idade. Israel foi derrotado em uma sangrenta batalha. A notícia da morte de Saul e de Jônatas chegaram até a casa real; então, a babá de Mefibosete, temendo que o menino também fosse morto, o toma em seus braços e foge correndo, mas, na pressa, acaba tropeçando e deixando o menino cair. Na queda, Mefibosete despedaça os pés e fica aleijado.

Agora, ele está órfão de pai e mãe. Perdeu a majestade, perdeu a saúde e vive escondido em um humilde povoado na casa de um bom homem chamado Maquir, que foi quem o amparou, adotando-o como filho.

Tais tragédias são frutos da rebeldia do Rei Saul, que plantou ventos e acabou colhendo tempestades devastadoras para a sua …

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

IntroduçãoOs pré-tribulacionistas afirmam que Deus não permitirá que a Igreja sofra no período da Grande Tribulação. Mas, não existe nenhum versículo bíblico que ensine que a Igreja não passará pela Grande Tribulação e nada existe também na Bíblia sobre uma Segunda Vinda de Cristo em duas fases ou etapas, separadas por sete anos de Grande Tribulação, e também não há nada sobre um arrebatamento “secreto”, pois não há nada de secreto e silencioso nos relatos que descrevem o arrebatamento da Igreja (1Ts 4.16-17; Mt 24.31). 
Outra incongruência deste ponto de vista é a ideia de um arrebatamento para tirar a Igreja e o Espírito Santo da Terra antes da manifestação do Anticristo. Se este fosse o caso, o Anticristo seria anti o quê? Anticristos são falsos profetas que já atuavam no mundo nos tempos mais primitivos da Igreja. Não devemos confundir Anticristo com a Besta ou Bestas Apocalípticas. Todas as menções ao(s) Anticristo(s) aparecem nas epístolas joaninas e dizem respeito aos hereges o…