sábado, 25 de setembro de 2010

Zaqueu, encontrando a razão de viver



Baseado em Lucas 19.1-10

Zaqueu buscou felicidade acumulando riquezas, mas insatisfeito, ansiava por algo que realmente pudesse preencher seu vazio existencial. Ouvindo falar de Jesus, foi procurá-lo, mas deparou-se com uma multidão entre ele e Jesus. Uma multidão de coisas e pessoas costumam se interpor no caminho daqueles que desejam encontrar e seguir a Jesus. Além disto, temos de superar obstáculos internos, íntimos e pessoais, como preconceitos, incredulidade e apego as coisas mundanas, representados ali pela pequena estatura de Zaqueu, que dificultava ainda mais que ele pudesse ao menos avistar a Jesus no meio daquela multidão. Diantes de tais obstáculos, Zaqueu não recuou, antes, correu adiante, buscou ajuda, encontrou uma árvore e nela subiu para avistar a Jesus. Ele encontrou uma boa árvore! Pois Jesus passaria exatamente por debaixo dela. Se é fato que existe uma multidão servindo de obstáculo, é certo também que Deus coloca uma árvore para nos socorrer! Uma igreja, um crente fiel que nos ajuda a encontrar a Jesus!

Jesus parou debaixo daquela árvore para dar atenção a Zaqueu. Ele pára para você também. Jesus se importa! Ele olhou para cima e viu a Zaqueu. Jesus também olha para você. Ele vê o seu estado. Ele quer ajudar!

O mais impressionante para Zaqueu, foi quando Jesus o chamou pelo próprio nome. Eles nunca haviam sido apresentados antes. Isto revela a onisciência de Cristo. Jesus sabe tudo a nosso respeito. Ele é o nosso Criador! Jesus fala com Zaqueu com autoridade e intimidade. Zaqueu reconhece a voz do Bom Pastor e obedece de bom grado. Zaqueu leva Jesus para sua casa.

Os legalistas quando viram Jesus entrando na casa de Zaqueu começaram a criticá-lo, pois Zaqueu era um pecador contumaz. Mas Jesus veio buscar e salvar os pecadores, pois são os enfermos que precisam de médico. Enquanto a crítica corria solta fora da casa, lá dentro, Zaqueu dava provas de ser uma pessoa mudada. Arrependido, decide partilhar metade de seus bens com os pobres e também se propõe a restituir a todas as pessoas que ele havia prejudicado quatro vezes mais do que havia sido "roubado". Reconciliado com Deus, Zaqueu está agora também reconciliando-se com seus próximos. Jesus lhe confere uma nova vida. Ele tem um futuro novo pela frente, mas também está preocupado em reconciliar-se com o seu passado. O encontro com Cristo produziu efeitos extraordinários na vida de Zaqueu.

Jesus continua vivo e poderoso para transformar vidas.

Jesus está passando... "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto" (Is 55.6).



Bispo José Ildo Swartele de Mello

www.metodistalivre.org.br

www.imeldemirandopolis.blogspot.com

www.escatologiacrista.blogspot.com

http://www.scribd.com/ildomello

http://twitter.com/ildomello

Um comentário:

  1. Nobre Bispo,
    Na minha concepção, o ARREPENDIMENTO não é um DOM que Deus concede aos homens, como muitos pensam, mas, sim, um dos ATRIBUTOS divinos, da mesma forma que a FÉ, os quais nos foram comunicados quando Deus nos criou à Sua imagem e semelhança.
    Cada qual tem a liberdade de manifestá-los de acordo com suas próprias vontades, exatamente como nos mostram algumas passagens bíblicas, como, por exemplo, a parábola do semeador, onde os homens são comparados a certos tipos de terrenos, nos quais são lançadas a semente (a Palavra de Deus), e cada um escolhe como receber a semeadura (dando fruto ou não).
    Com relação ao Criador, a manifestação do ATRIBUTO divino do ARREPENDIMENTO é mostrada em algumas passagens bíblicas, as quais demonstram o Senhor se ARREPENDENDO do mal que intentava fazer a determinadas pessoas, como resultado da Sua infinita misericórdia (Jn 3:10).
    Já, com relação ao ATRIBUTO da FÉ, a própria ciência comprova que o homem foi projetado para crer em um ser superior, conforme diz o Dr. Rodrigo Silva: https://www.youtube.com/watch?v=2DF-bUMBmJ0
    Ou seja, ao nos criar à Sua imagem e semelhança, o Senhor Deus nos transmitiu, entre outros atributos, o ATRIBUTO da FÉ, o qual faz parte do Seu próprio ser. Quando Ele disse, por exemplo, "Haja Luz!", será que Ele não cria que a luz apareceria?
    Outrossim, quando Ele profetizou que a semente da mulher pisaria a cabeça da serpente, mais uma vez aparece a manifestação do ATRIBUTO da FÉ, pois, naquele momento, o Senhor Deus estava falando de Jesus Cristo, o qual, por certo, possuía livre-arbítrio e poderia ter negado a cruz, diante do martírio que haveria de passar.
    Ou será que alguém duvida que Jesus possuía liberdade de escolha? Se alguém tem alguma dúvida, basta ler Is 7:15-16.
    Portanto, muitos enganam-se quando lêem Efésios 2:8, negligenciando que tal capítulo está falando do DOM da SALVAÇÃO e não do ATRIBUTO da FÉ.
    Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir